Força-tarefa interdita quatro postos na Grande Vitória (ES)

127

Uma força-tarefa formada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Polícia Civil e Procon interditou ontem (27/4) quatro postos de combustíveis em Cariacica, na Grande Vitória (ES), por adição irregular de metanol no etanol.

Força-tarefa interdita quatro postos na Grande Vitória (ES)
Força-tarefa interdita quatro postos na Grande Vitória (ES)

A irregularidade havia sido detectada pelo Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis da ANP (PMQC). Por meio do convênio da ANP com o Procon-ES, o órgão interditou cauterlamente as bombas de etanol dos postos e coletou amostras, que foram enviadas à Agência. Após confirmação da irregularidade em laboratório, a força-tarefa se dirigiu aos estabelecimentos para realizar a interdição total.

Durante a operação, foram fiscalizados ainda outros dois postos, nos quais não foram encontradas irregularidades com os testes feitos em campo. Foram coletadas 11 amostras de combustíveis para análise em laboratório.

Força-tarefa: postos interditados 

POSTO GASTALDELLE LTDA – Rodovia BR 262, Km 2, Jardim América

POSTO GALLO LTDA. – Rodovia Governador José Sette, Km 12, Porto de Cariacica

POSTO CHIABAI LTDA. – Rua Gabino Rios, 89, Boa Sorte

AUTO POSTO ZANONI LTDA. – Rodovia BR 262, Km 2,6, Alto Lage

Ações de fiscalização

A ANP tem intensificado suas ações de fiscalização, planejando-as cada vez mais a partir de vetores de inteligência, com destaque para denúncias recebidas pelo Centro de Relações com o Consumidor (CRC) e dos resultados obtidos pelo Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis (PMQC), além de informações repassadas por outros órgãos públicos e pela área de inteligência a ANP.

Desde 2013, a Agência se empenha em criar parcerias com órgãos de diferentes esferas da administração pública, o que resultou na instituição de forças-tarefa. Em 2016, foram realizadas 139 forças-tarefa em todo o País. As ações conjuntas entre órgãos públicos fortalecem a participação do Estado na fiscalização do setor e restringem o emprego de práticas irregulares pelos agentes econômicos.