Para analistas, indústria volta a crescer puxada por veículos

217

Com a ajuda da produção de automóveis, que aumentou no mês, a indústria deve ter voltado a crescer em fevereiro, reforçando os sinais de estabilização do nível de atividade do setor. Segundo a estimativa média de 22 instituições financeiras e consultorias ouvidas pelo Valor Data, a produção industrial teve variação positiva de 0,5% em fevereiro, feitos os ajustes sazonais, depois de ter caído 0,1% em janeiro, sempre na comparação com o mês anterior.

Para analistas, indústria volta a crescer puxada por veículos
Para analistas, indústria volta a crescer puxada por veículos

As projeções para a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), a ser divulgada hoje pelo IBGE, variam de queda de 0,3% até alta de 1%. Em relação a fevereiro de 2016, a expectativa média é de pequeno crescimento de 0,1%, o segundo aumento consecutivo nessa comparação, algo não visto desde o quarto trimestre de 2013.

Para Thiago Xavier, economista da Tendências Consultoria, é natural que, neste momento de virada, os dados mensais oscilem entre altas e baixas. Ele projeta crescimento de 0,5% da produção industrial em fevereiro, depois de queda de 0,1% em janeiro e aumento de 2,4% em dezembro. “Olhando para esses últimos dados, a dinâmica parece apontar para certa estabilidade da indústria”, diz.

A produção de automóveis, ressalta ele, impulsionou a atividade manufatureira em fevereiro, com alta de 9,3% na comparação com janeiro, com ajuste sazonal da consultoria. Outros indicadores, contudo, também sugerem crescimento da indústria no período, como o tráfego de veículos pesados em rodovias pedagiadas, que subiu 2% entre janeiro e fevereiro.

Caso se confirme o crescimento da produção em fevereiro, é bastante possível que a indústria registre crescimento no primeiro trimestre, diz Xavier. “Mas ainda não dá para cravar porque não temos os dados de março”, diz ele.

As estimativas do Santander apontam para um crescimento de 0,4% da produção industrial no mês, o que deixaria um carregamento estatístico de 1,9% para o primeiro trimestre de 2017. Ou seja, se em março a indústria ficar estável, o setor chegaria a um crescimento de 1,9% entre janeiro e março, em relação ao trimestre imediatamente anterior, feitos os ajustes sazonais – maior alta desde o segundo trimestre de 2013.

“De fato, acreditamos que o setor industrial e a produção agropecuária serão os responsáveis pela alta do PIB total entre janeiro e março, já que o setor de serviços seguiu em trajetória cadente no início deste ano”, afirmam os economistas do banco em relatório.

Indústria: setor contribuindo para crescimento econômico

Xavier, da Tendências, também avalia que o setor industrial deve contribuir para interromper a sequência de oito quedas seguidas do PIB na comparação trimestral. A consultoria estima alta de 0,1% da atividade de janeiro a março.

Para o BNP Paribas, que estima crescimento de 0,9% da produção industrial na passagem mensal, o setor deve ter crescimento de 0,5% em relação a fevereiro do ano passado. Desde o quarto trimestre de 2013 a produção não tem duas altas consecutivas nessa comparação, afirmam os economistas do banco em relatório. “Continuamos confiantes de que a economia está em ponto de virada e que as próximas divulgações devem confirmar essa expectativa de recuperação”.