Nova bateria pode armazenar 3 vezes mais energia do que as de Íons de Lítio

Criador da bateria de Íons de Lítio promete uma nova tecnologia com 3 vezes mais capacidade

233
John Goodenough
John Goodenough – Criador da bateria de Íons de Lítio promete uma nova tecnologia com 3 vezes mais capacidade

John Goodenough

O pai da tecnologia de bateria com Íons de Lítio, John Goodenough, se juntou a pesquisadores da Universidade do Texas para criar uma célula de baterias de Lítio em estado completamente sólido que é mais segura, tem mais ciclos de vida e que carrega muito mais rápido.

Goodenough, que já tem 94 anos, trabalhou com o time da pesquisadora Maria Helena Braga da Escola Superior de Cockrell para desenvolver uma nova tecnologia de bateria que está sendo desenvolvida há mais de dois anos.

Segundo os cientistas, a nova bateria de estado sólido pode ter uma capacidade de carga 3 vezes maior que uma bateria tradicional, além de ser completamente recarregável em alguns minutos:

Custo, Segurança, densidade de energia, as taxas de carga e descarga e o clico de vida útil são críticos para que carros movidos à bateria sejam amplamente adotados. Acreditamos que nossa descoberta resolve muitos dos problemas que são inerentes as baterias atuais — afirmou o pai das baterias de Íons de Lítio

Nova tecnologia

A grande mudança da nova bateria é a utilização de eletrólitos de vidro ao invés de Íons de Lítio em estado líquido, tornando a bateria mais segura e evitando o risco dela pegar fogo. Isso também permite que a ela funcione adequadamente em temperaturas baixas até -20 graus Celsius.

bat-02Sem contar que em sua composição as baterias seriam fabricadas com materiais ecológicos que ajudam a minimizar os danos ambientais. Afinal, os eletrólitos de vidro permitem substituir o uso do Lítio pelo Sósio. O sódio é extraído da água do mar e é amplamente disponível.

As aplicações das baterias de estado sólido em grande escala são inúmeras. Goodenough garante que elas podem ser usadas desde smartphones a carros elétricos. Os pesquisadores agora buscam por fabricantes que queiram apostar na sua tecnologia para realizar os primeiros testes.

Quem diria, Goodenough, que disposição para mudar o mundo!

Fonte(s): Universidade do Texas