CEO do Grupo Volkswagen questiona futuro do carro a diesel

131
O CEO do Grupo Volkswagen, Matthias Müller, admitiu que não sabe até que ponto a empresa continuará investindo no desenvolvimento, produção e venda de carros a diesel. Segundo ele, as legislações de emissões ficarão mais apertadas em diversos países em 2020, o que pode simplesmente inviabilizar a tecnologia.

“Hoje podemos prever que a limpeza do diesel será muito cara e trabalhosa. Ao mesmo tempo, a mobilidade elétrica será mais barata. Neste contexto, a partir de determinado momento vamos nos questionar se devemos seguir investindo muito dinheiro no desenvolvimento do diesel”, disse em entrevista ao jornal alemão Handelsblatt da terça-feira, 21. A declaração foi divulgada a um dia da reunião geral dos acionistas do Grupo Volkswagen.

Os carros com motores diesel foram por anos um dos pilares da estratégia de produto da companhia. Pela entrevista de Müller, no entanto, isso parece ter mudado após o dieselgate. O escândalo causado pela fraude nos testes de emissão dos carros afetou 11 milhões de veículos globalmente e foi descoberto nos Estados Unidos. Diante da situação, a empresa ainda não decidiu se continuará vendendo carros a diesel no país.

Ao declarar que o grupo decidiu repensar a estratégia, Müller sinaliza que, com todo o aparato antipoluição, o preço dos modelos a diesel acabaria equiparado ao dos carros zero emissão. Há menos de uma semana a montadora anunciou novo plano estratégico global que inclui o lançamento de 30 veículos elétricos nos próximos 10 anos. Com esta nova postura, a Volkswagen sinaliza que realmente não é capaz de cumprir as legislações de emissões com custo baixo, o que provavelmente motivou a fraude dos motores que culminou no dieselgate.

Fonte: Automotive Business