O Mercado Brasileiro de Lubrificantes 2021-01

443
Português
Español/Castellano
English

Mercado Brasileiro de Lubrificantes

Mercado Brasileiro de Lubrificantes

O primeiro semestre de 2021 mostrou uma recuperação importante do mercado brasileiro de lubrificantes, com um aumento de volume comercializado de 24,7%, com relação ao ano anterior. É fato que o ano de 2020 apresentou alguma distorção histórica, pois devido à Pandemia da Covid-19, vimos um movimento atípico, principalmente no mês de abril, quando o mercado despencou cerca de 47,1%, comparado ao mesmo mês de 2019. A recuperação do mercado já mostrava força no segundo semestre de 2020, fechando o ano com apenas 1,0% de queda, e continuou em 2021 esse processo com volumes mensais acima da média histórica, acumulando vendas de 736.688 m3.

Em relação à participação de mercado das empresas produtoras de lubrificantes no Brasil, a Iconic, fruto de fusão da Chevron Lubrificantes com a Ipiranga Lubrificantes, continua liderando o mercado, com 18,6%, distanciando-se um pouco mais da segunda colocada que é a BR Distribuidora com 16,0%. Seguindo as líderes, aparecem a Moove (Cosan) com 13,8%, a Shell com 11,5% e a Petronas completando a lista dos TOP 5, com 8,6%. Depois vemos YPF, Energis8, Quaker, Castrol e Total completando o grupo das 10 maiores empresas, em volume de vendas.

É importante notar também que essa recuperação do mercado se deu em meio a um ambiente tenso e complicado, em termos de suprimento de matérias primas, aumento de preços e restrições de mobilidade pela pandemia. Nesse contexto, tivemos um recorde histórico de vendas no mês de julho de 2020, que poderia ter sido interpretado como um efeito rebote do mercado, para recomposição de estoques, após a queda abrupta de abril, entretanto, os meses seguinte mostraram força e o mercado iniciou o ano de 2021 com altos volumes de venda, fazendo com que o mês de março superasse o recorde mensal obtido no ano anterior.

Histórico

O primeiro semestre de 2021 também apresentou um volume superior a todos os anos anteriores da série histórica. A revista Lubes em Foco fez um levantamento em seus arquivos e montou um gráfico para mostrar o comportamento do mercado durante os últimos 15 anos, incluindo a projeção para 2021, com algumas observações interessantes.

Em termos de aplicação e de acordo com as informações oficiais da ANP, a distribuição do mercado de lubrificantes, no primeiro semestre de 2021, mostra o segmento de óleos de motor (ciclos Diesel e Ottto), como responsável por mais de 52% dos óleos comercializados, ficando a soma dos óleos hidráulicos e de transmissão com 24,3%. Os demais segmentos estão apresentados no gráfico de distribuição por aplicação.

Óleos Básicos: Um grande desafio

A questão dos óleos básicos no Brasil merece uma observação bastante profunda e crítica pois, existem vários fatores que exercem uma considerável pressão sobre esse mercado, que nos últimos meses vem sofrendo tanto pelo aumento de preços como falta de produto.

Clique na imagem abaixo e leia o restante do artigo na revista digital “LUBES EM FOCO – edição 83” :