Lubrificantes sintéticos de base PAG traz benefícios para redutores

117

Marcos Thadeu Lobo

Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional de Suporte Técnico em Produtos. E atualmente exerce a função de Consultor Técnico Sênior.

Leia em português
Read it in english
Lea en español/castellano

Lubrificantes sintéticos para trabalho severo

Em muitas aplicações, face às elevadas temperaturas de trabalho e severas cargas de serviço a que os redutores de velocidade são submetidos não se é recomendável o uso de óleos lubrificante de base mineral sob pena de baixos intervalos de serviço da carga de óleo lubrificante causada pela termo-oxidação  e a aceleração da taxa de desgaste das engrenagens e mancais de rolamento em função de película lubrificante com espessura insuficiente para separar as superfícies metálicas em movimento dinâmico relativo.

lubrificantes sintéticosFiguras 1/2 – Condições extremas de temperatura e esforços

Os óleos lubrificantes sintéticos à base de polialquilenoglicol ( PAG ) apresentam custo inicial de aquisição mais elevado em relação aos de base mineral. Porém, os benefícios em termos de redução de desgaste, melhoria na confiabilidade e disponibilidade do maquinário compensam o maior custo inicial de aquisição.

Benefícios dos lubrificantes sintéticos de base PAG

Entre os benefícios do uso  de  óleos  lubrificantes  sintéticos  à base de polialquilenoglicol ( PAG ) podemos citar:

  1. Alto Índice de Viscosidade: menores variações de viscosidade do óleo lubrificante com a temperatura e, consequentemente, melhor lubrificação de mancais de rolamento e engrenagens.
  2. Maior resistência à termo-oxidação: alonga os períodos de serviço em, até, 5 mais em relação aos óleos lubrificantes de base mineral.
  3. Reduz o desgaste dos componentes móveis ( engrenagens e mancais de rolamento ): redução de gastos com manutenção e paradas imprevistas de equipamentos.
  4. Melhor lubricidade: proporciona menor consumo de energia elétrica.
  5. Reduz a temperatura de operação do equipamento em, até, 5 ºC.

LUBRIFICANTES SINTÉTICOSlubrificantes sintéticosFiguras 4/5 – Óleos à base de PAG: melhores confiabilidade e disponibilidade

Óleos à base de polialquilenoglicol ( PAG ) para uso em redutores de velocidade, geralmente, atendem às normas de desempenho:

  1. DIN 51517 parte 3: CPL PG
  2. ISO 6743/ISO 12925-1 ( CKC/CKD/CKE/CKS/CKT )
  3. AGMA 9005-E02: EP
  4. FZG ( A/8.3/90 ) > 14; FZG ( A/16.6/140 ) > 12: Testes de proteção às engrenagens )
  5. FZG micropitting: Método GG-V378 )
  6. FAGFE8: Teste de proteção contra o desgaste de rolamentos )

Recomenda-se a realização de “flushing” do sistema de lubrificação do redutor de velocidades em caso de substituição de óleos lubrificantes de base mineral ou à base de polialfaolefina ( PAO ) por produtos à base de poliaquilenoglicol ( PAG ) tendo em vista que pode haver incompatibilidade entre as citadas bases ( mineral e PAO ) com o poliaquilenoglicol ( PAG ).

 

 

Outros artigos do Autor

Filtros eletrostáticos: eficácia no controle de verniz

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Alta temperatura em redutor de velocidade: usar sintéticos ou resfriamento?

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Técnicas simples para evitar contaminação do Diesel Rodoviário

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Projetando o reservatório para sistemas hidráulicos

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Graxas especiais para acoplamentos e grades elásticas

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...