GM suspende produção em Gravataí por falta de componentes

Empregados entram em férias em março e depois será aplicada suspensão temporária de contratos por dois a cinco meses

65
GM suspende produção em Gravataí
Linha de montagem do Chevrolet Onix em Gravataí: paralisação por falta de componentes

GM suspende produção em Gravataí

A falta de componentes atingiu a linha de produção do carro mais vendido do País, o Chevrolet Onix. A fábrica da General Motors em Gravataí (RS) vai parar por um mês em março, quando os empregados entram em férias coletivas, segundo confirmou Valcir Ascari, presidente do Sinmgra, o sindicato dos metalúrgicos da cidade. A ideia é suspender a operação para recompor os estoques de itens que estão faltando, principalmente eletrônicos, para evitar interrupções durante os turnos. A paralisação atinge todos os funcionários da GM e dos fornecedores sistemistas instalados no mesmo complexo industrial.

Depois das férias coletivas, a GM e seus sistemistas propõem aos trabalhadores do complexo a suspensão temporária dos contratos de trabalho (layoff) de mil dos 2 mil funcionários da unidade a partir de 5 de abril, reduzindo a produção de dois para apenas um turno por um período que pode variar de dois a cinco meses, conforme o fornecimento de componentes seja reestabelecido. A proposta consta no edital de convocação de assembleia virtual do Sinmgra para esta sexta-feira, 26. A tendência é de aprovação.

Durante o afastamento os empregados seguem recebendo parte dos salários e são encaminhados para participar de cursos de requalificação. Na negociação com o sindicato, ficou estabelecido que se a montadora realizar demissões nesse período de suspensão do contrato, irá pagar multa de dois salários adicionais por funcionário demitido.

Procurada, a GM se negou a confirmar a paralisação da produção em Gravataí ou em outras de suas fábricas no País. Em comunicado, a empresa reconhece os problemas de suprimentos e as negociações com fornecedores e sindicatos, mas não revela quais medidas concretas estão sendo tomadas. “A cadeia de suprimentos da indústria automotiva na América do Sul tem sido impactada pelas paradas de produção durante a pandemia e pela recuperação do mercado mais rápida que o esperado. Isso tem o potencial de afetar de forma temporária e parcial nosso cronograma de produção. Estamos neste momento trabalhando com fornecedores e sindicato para mitigar os impactos gerados por esta situação”, diz a nota da GM.

Os dois carros produzidos pela GM no Rio Grande do Sul, o hatch Onix e o sedã Onix Plus, foram respectivamente o primeiro e terceiro carros mais vendidos do País em 2020, com 218 mil unidades emplacadas dos dois modelos. O volume de janeiro seguiu ritmo parecido de 18 mil a 19 mil emplacamentos por mês. Com a paralisação por um mês, portanto, é algo em torno deste número que a GM tem a perder, o que pode eventualmente custar a liderança de mercado que a fabricante conquistou desde 2016 – isso se os concorrentes também não precisarem suspender a produção, pois todos enfrentam atualmente o mesmo problema de falta de componentes.