Mercado Brasileiro de Lubrificantes teve crescimento de 5% em 2019

168

Mercado Brasileiro de Lubrificantes

Mercado Brasileiro de Lubrificantes

Pesquisa e análise dos números do mercado brasileiro de lubrificantes mostram que o ano de 2019 apresentou um crescimento de 5% sobre o ano anterior, atingindo o volume total de 1.363.900 metros cúbicos. Mesmo com a ANP revisando seus números retroativamente para todos os meses do ano, a pesquisa feita pela revista Lubes em Foco com os números das grandes empresas continua apontando diferenças.

O crescimento do mercado não se refletiu nas empresas do Sindicom, que em 2019 responderam por 75,1% do mercado total, o que representou uma queda de 3,5 pontos percentuais sobre o ano anterior.

ICONIC e BR Distribuidora continuam com o que poderíamos chamar de empate técnico na primeira colocação do mercado de lubrificantes, com ligeira vantagem para ICONIC que tem 19,4% contra 19,2% da BR. Cosan com 14,5%, Shell com 9,0% e Petronas com 8,4% fecham o ranking das TOP 5 que representam 70,5%.

Marcio Benedito Vecchi aparece como surpresa no mercado, conquistando a sexta posição, com uma fatia significativa de 2,23% de mercado. A empresa apresentou um crescimento de cerca de 137% em relação a 2018. Logo após vem a YPF com 1,8% .

A Ultrax também obteve um desempenho bastante significativo, com crescimento de 32,5% em relação ao ano anterior, ficando em oitavo lugar com 1,42% de mercado, seguida de Total com 1.40%, Castrol com 1,38% e Ingrax com 1,34%.

O Brasil exportou quase 83 mil metros cúbicos de óleo acabado em 2019, representando um aumento de 33,3% sobre o ano anterior.

O Sudeste continua sendo a região de maior consumo de lubrificantes, com 622,4 mil metros cúbicos, significando 47% do total consumido no país, sendo que somente o estado de São Paulo foi responsável por 58,7% de toda a região.

O mercado de básicos atingiu um total de 1.410.276 m3 , sendo que as importações responderam por quase 41,9% desse mercado, ficando a produção de grupo I das refinarias nacionais com 40,3% e o rerrefino contribuindo com 18,2%. O Brasil ainda exportou uma pequena quantidade de 0,5% para países da América do Sul.

Os básicos do grupo II produzidos no Brasil pela empresa Lwart Lubrificantes representou perto de 30% dos básicos rerrefinados colocados no mercado e 5,4% do mercado total de básicos.

Uma análise completa do mercado brasileiro de lubrificantes, com comentários e perspectivas será apresentada no próximo número da revista Lubes em Foco.