A preditiva através da Ferrografia direta

419

A preditiva através da Ferrografia direta

Por: Mauro Noga

Ferrografia DiretaA Ferrografia é uma excelente ferramenta de acompanhamento da formação de desgastes e prevenção de quebras inesperadas. Utilizando a técnica de análise de tendência através do lubrificante, podemos manter a disponibilidade operacional de um equipamento e evitar perdas de produção

Introdução

A Ferrografia foi desenvolvida por Wernon C. Westcott, na década de 1971, com o apoio da Marinha Americana, tendo o princípio que toda máquina se desgasta durante a sua operação, os desgastes geram partículas e essas partículas podem ser separadas para criar uma linha de tendência e um modo de desgaste, através da Ferrografia Direta. A Ferrografia não analisa o lubrificante e sim as informações que ele pode trazer.

Ferrografia Direta

A Ferrografia de Leitura Direta (DR – Direct Reading Ferrograph) é utilizada para criar a linha de tendência de desgastes que são identificados através de diferença de campo magnético do equipamento de leitura, em que as partículas são separadas em DL e DS.
Density Large: > 5 mícrons
Density Small < 5 mícrons

O equipamento tem uma limitação de leitura que fica entre 10 e 90, tanto no DL como no DS, o que for maior. Caso a amostra ultrapasse essa faixa, deve-se proceder a diluição ou concentração da amostra, sendo: 3:1, 1:1, 1:10, 1:50, 1:100 e 1:1000.

Faça log-in ou cadastre-se para continuar lendo este artigo:

 

Lubes em Foco 61