Oportunidades globais para a indústria do rerrefino

578
rerrefino
Foto cortesia de Puralube

A indústria de rerrefino de óleos lubrificantes têm motivos suficientes para otimismo, tanto a curto quanto a longo prazo, comenta Fabio Dalla Giovanna, Diretor de Tecnologia da Egeo Oil, em evento internacional.

“Na Europa e nos Estados Unidos, mas principalmente na África, América do Sul e Ásia, há muitas oportunidades para outras plantas”, especulou Fabio, durante a ICIS World Base Oils & Lubricants Conference. “Este é um bom desafio para aqueles que querem penetrar nesses mercados.

Quando os preços do petróleo são altos, isso sempre beneficia as margens de óleos rerrefinados, ressaltou Fabio Giovanna, que é diretor de tecnologia da Egeo Oil , de Lisboa. Citando a Deloitte, ele previu que os preços do petróleo vão aumentar ligeiramente nos próximos dois anos para US $ 57 por barril em 2018. Isso criará muitas oportunidades para os rerrefinadores, disse ele.

No entanto, enquanto os preços do petróleo bruto têm um efeito sobre o negócio de rerrefino, as condições econômicas locais e regulamentações governamentais são os principais impulsionadores.

Giovanna citou a Itália como exemplo, onde um imposto sobre vendas de 0,15 Euros por quilo de óleo lubrificante tem sido suficiente para subsidiar a atividade de rerrefino e atuar como um amortecedor contra preços variáveis no petróleo.

O mercado ideal para o rerrefino, disse ele, tem custos de mão-de-obra baixos, um negócio de coleta eficiente e um desencorajamento de exportações de óleo usado, junto com um quadro legislativo forte em apoio à coleta de óleo usado.

Em 2014, a União Europeia gerou 2,1 milhões de toneladas de óleo usado que poderia ser coletável, relatou Giovanna. Desse total, 1,7 milhão de toneladas (80%) foram coletadas e 700 mil toneladas foram rerrefinadas. Isso significa que 30% do óleo coletável – ou 40% do óleo coletado – foi reciclado.

A demanda total de lubrificantes na UE foi de 4,3 milhões de toneladas naquele ano. “O petróleo é chamado de ouro preto, e o óleo usado deve ser a prata”, ele brincou. “Ter um desperdício tão alto de algo assim é inaceitável.”

Proposta da Associação Europeia da Indústria de Rerrefino

A Associação Europeia da Indústria de Rerrefino de Óleos Usados (GEIR) propôs um objetivo a nível da UE de recolher 95% do óleo usado coletável em cada Estado-membro, até 2020 e rerrefinar pelo menos 60% disso. Em 2025, o grupo quer ver até 100% de coleta e 85% de rerrefino. No entanto, grandes fabricantes de óleos básicos estão se opondo a esses objetivos, lamentou Giovanna.

Em geral, disse ele, a legislação da UE em torno da coleta de óleo usado é boa, “mas poderia ser melhorada para estabelecer um controle mais severo, introduzindo punições e sanções, se os requisitos legais não forem cumpridos.” Giovanna, cuja empresa planeja inaugurar uma planta de rerrefino com capacidade de 20.000 t / ano, em Portugal, este ano, acredita que o modelo legislativo da UE poderia ser exportado para incentivar a coleta de óleos usados em outros países.

Os principais fatores motivadores para os rerrefinadores no futuro, previu Giovanna, baseiam-se principalmente no mercado de óleos básicos API Grupo I. Os rerrefinadores podem se tornar uma das poucas fontes de fornecimento do Grupo I, que ele acredita que será uma raridade, apesar da crescente apreciação do produto em aplicações industriais. A chave para sobreviver em um mercado em constante mudança, declarou, será a flexibilidade do processo na produção de óleos do Grupo I + e do Grupo II.

Por: Caitlin Jacobs, traduzido por Pedro Nelson Belmiro

 

SOURCELube Report