sábado, fevereiro 23, 2019
Home TOPNEWS

TOPNEWS

Post a serem apresentados nos destaques de envio do dia

Golf Variant

Volkswagen Golf Variant deixa de ser vendida

Golf Variant Mais uma baixa para o mercado brasileiro. Após a Peugeot matar a dupla 308 e 408, e a Ford anunciar o fim do Fiesta e do Focus,...

Esportiva retrô da Honda pode estar a caminho

Esportiva retrô A Honda deve ampliar sua gama de modelos feitos sob o conceito Neo Sports Café. De acordo com informações da revista japonesa Young Machine, a marca...
Educação pressiona inflação

Educação pressiona e IPCA-15 sobe 0,34% em fevereiro

Educação pressiona inflação SÃO PAULO (Reuters) - A prévia da inflação oficial brasileira acelerou a alta em fevereiro em um movimento sazonal alimentando pelos preços...

Desafio da infraestrutura é aumentar investimentos privados

Desafio da infraestrutura A modernização da infraestrutura no Brasil passa inevitavelmente pelo aumento dos investimentos privados e pelo fortalecimento das agências reguladoras. Os dois pontos...
Acordo dá estabilidade a trabalhadores da Ford

Fábrica de Ford de S Bernardo é apenas uma das vítimas

Fábrica de Ford A notícia de que a Ford vai fechar a fábrica em São Bernardo do Campo (SP), sua mais antiga planta no país...
fecha 2018 com resultado aquém do esperado Desaceleração no ritmo de produção aconteceu após paralisação de maio Foto: Imprensa CNT Os resultados de dezembro da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), divulgados na última quinta-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foram aquém dos projetados pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) para o ano de 2018. Os dados constam no Boletim Economia em Foco, publicado pela CNT nesta terça-feira (19). Em razão do enfraquecimento do volume de atividades no segundo semestre de 2018, a alta acumulada fechou o ano em apenas 1,2%. É o segundo ano seguido de alta do volume de serviços do setor após dois anos de forte retração em razão da crise econômica. A análise por segmento mostra que houve avanço de 2,1% no segmento terrestre e de 4,2% no aéreo. Já o setor aquaviário e o ramo de armazenagem, serviços auxiliares e correios tiveram um recuo de 0,8%. Com esse resultado, o setor encerra 2018 com a produção anual em patamar semelhante ao observado em 2011 e cerca de 10% inferior ao observado no final de 2014, ano de início da crise. Isso traz um cenário que mostra que o crescimento observado em 2018 foi bastante fraco, pois seriam necessários oito anos com crescimento de 1,2% ao ano para que o volume de serviços retornasse aos níveis de 2014. Paralisação Desde a paralisação dos caminhoneiros, em maio de 2018, a tendência tem sido de desaceleração. Enquanto em março de 2018 a alta acumulada em 12 meses no volume de serviços era de 3,8%, no fechamento do ano, em dezembro, o aumento ficou em apenas 1,2%. Clique aqui ​para baixar o boletim. Agência CNT de Notícias Áudios

Setor de transporte fecha 2018 aquém do esperado

Setor de transporte Os resultados de dezembro da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), divulgados na última quinta-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística),...
safra de cana

Raízen vê nova safra de cana “um pouco melhor”

Safra de cana RIO DE JANEIRO (Reuters) - O volume da nova safra de cana-de-açúcar do centro-sul do Brasil será um pouco maior que o...