Preço médio em dólar de carro importado cai 19% em dois anos, diz Abeifa

Associação de importadores aponta que valores não acompanharam variação cambial

37
Carros importados
New Volvo XC90 Inscription T8 Twin Engine in Birch Light Metallic

Carros importados

Em pesquisa realizada com 15 marcas associadas de importadores de veículos, a Abeifa aponta que o preço médio em dólar de carros importados caiu 19% nos últimos dois anos, na contramão da desvalorização do real, que entre janeiro de 2017 e agosto de 2019 passou de R$ 3,20 para 3,99 por dólar. Segundo a entidade, os associados vêm absorvendo parte da variação cambial para tentar segurar os preços e assim tentar evitar queda maior de vendas – enquanto o mercado brasileiro cresceu 12% nos primeiros sete meses do ano, os sócios da Abeifa venderam de janeiro a julho apenas 19,1 mil carros importados, volume que representa retração de 8,9% comparado com o de mesmo período do ano passado.

Abeifa

Para José Luiz Gandini, presidente da Abeifa, a tendência de alta da moeda americana deve ser mantida nos próximos meses, com câmbio ficando acima dos R$ 4,00. Ele avalia que a situação é “motivada por vários fatores externos, como a percepção de uma possível recessão global e de uma desaceleração mais forte das economias chinesa e alemã, que faria outras economias também desacelerarem, sem considerar os possíveis sustos diários no mercado brasileiro com as aprovações ou não das reformas”. Por isso o dirigente pontua que os importadores que compram os veículos em dólar não vão conseguir segurar os reajustes de preços por muito mais tempo.

“Em dólar, os preços de veículos [importados] nunca foram tão baixos em quase 30 anos de importação oficial, e as importadoras ou fabricantes não têm como segurar esses preços por um período grande de tempo. Tenho convicção que os valores serão reajustados a curto prazo”, afirma José Luiz Gandini.

 

Alguns exemplos

A Abeifa selecionou alguns exemplos que comprovam a atual defasagem dos preços de carros importados diante da desvalorização cambial. O produto mais vendido da Kia Motors no Brasil, o SUV Sportage, em janeiro de 2017 tinha era vendido por R$ 112.990 (versão código P.776), ou US$ 35,3 mil na época, e hoje a versão similar é comercializado a R$117.990, ou US$ 29,4 mil pelo câmbio atual, em redução de 16,7%.

Em outro exemplo, a Abeifa aponta que o Suzuki Vitara 4Sport All Grip era ofertado no mercado brasileiro a US$ 35 mil; dois anos depois o mesmo produto custa US$ 30,6 mil, uma redução de 12,5%. Em reais, custava R$ 112 mil e, agora, R$ 122,5 mil, alta de 9,3%. Outro produto da linha Suzuki, o S-Cross 4Style All Grip, em janeiro de 2017 era vendido por US$ 36,2 mil e hoje sai por US$ 30,3 mil, queda de 16,4%. Em reais, o modelo subiu de R$ 116 mil para R$ 121,5 mil, alta de apenas 4,7%.

Alguns importadores também baixaram o preço em reais de alguns modelos, como a Volvo Cars, que reduziu a tabela do seu maior e mais luxuoso SUV, o XC90: na versão T6 Momentum o valor de R$ 323,9 mil em janeiro de 2017 caiu 7,4% para R$ 299,9 mil neste mês de agosto, enquanto o topo de gama T8 Inscription híbrido saiu de R$ 419,9 mil para R$ 359,9 mil, recuo de 14,2%. Em dólar a redução é ainda maior: o XC90 T6 começou 2017 custando US$ 101 mil e em 2019 baixou para US$ 75 mil e o T8 desceu de US$ 131,2 mil para US$ 90,2 mil agora, em respectivas quedas de 25,7% e 31,2%.