Produção de máquinas cai 7,9% no primeiro semestre

Mercado interno vacilante e exportações em baixa forçaram montadoras a administrar estoques

37

Máquinas agrícolasMáquinas agrícolas

produção de máquinas agrícolas e rodoviárias somou neste primeiro semestre 24,8 mil unidades, registrando queda de 7,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A retração foi puxada pelos tratores de rodas, em que as 16,1 mil unidades montadas anotaram recuo significativo de 18,6%. Os números foram divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).


– Faça aqui o download dos dados da Anfavea


 

“Começamos o ano com um estoque de 6 mil máquinas. Os recursos estavam escassos durante a Agrishow (maior feira nacional do agronegócio, realizada entre abril e maio) e administramos o estoque”, afirma o vice-presidente da Anfavea, Alfredo Miguel Neto.

 

Embora tenha revisado para baixo as exportações de veículos leves e pesados, a Anfavea manteve até o momento as projeções para máquinas, mas Miguel Neto admite a iminência de uma revisão, sobretudo das exportações, já que a Argentina consome boa parte das máquinas vendidas pelo Brasil ao mercado externo.

Para o mercado doméstico, o vice-presidente da Anfavea está confiante: “Não será difícil crescer de acordo com a projeção atual”, diz, recordando que novo Plano Safra prevê R$ 225,6 bilhões para o agronegócio. “Esse valor deve ser suficiente ao menos até fevereiro e o governo poderá realocar recursos de uma para outra linha.” A Anfavea prevê a venda interna de 53 mil máquinas até o fim de 2019 e alta de 10,9% sobre 2018.

Mercado andou de lado no primeiro semestre

De janeiro a junho as fábricas locais repassaram às concessionárias 19,8 mil máquinas agrícolas e rodoviárias, repetindo o resultado obtido no primeiro semestre de 2018. Houve queda de 7,3% na venda de tratores sobre rodas, com 15,2 mil unidades entregues na primeira metade de 2019.

Essa retração foi compensada com a alta em outros segmentos de menor volume: a venda de retroescavadeiras se aproximou de 1,5 mil unidades, quase o dobro em relação ao primeiro semestre do ano passado. As colheitadeiras também anotaram acréscimo importante de 20,3%, com 2,5 mil unidades negociadas no País.

Exportação em valores cai 14,4%

De acordo com a Anfavea, as exportações de máquinas somaram no primeiro semestre US$ 1,48 bilhão, valor 14,4% mais baixo pela comparação interanual. Em unidades a retração foi bem menor, 2%. O País embarcou 6,1 mil máquinas na primeira metade de 2019. A alta de 22,4% na venda de tratores de esteiras (1,8 mil unidades) ajudou a compensar a queda de 3,8% nas exportações de tratores de rodas no semestre (2,9 mil).