Kwid reestilizado exibe dianteira do elétrico City K-ZE

Compacto herdará da versão elétrica conjunto frontal com grade maior e faróis divididos

67

Kwid reestilizadoKwid reestilizado

Especulada pela imprensa desde o final do ano passado, a reestilização de meia-vida do Renault Kwid está cada vez mais próxima de se tornar realidade. O projeto de renovação é tocado em grande parte pela equipe da marca na Índia e a circulação de protótipos em testes no país tem se intensificado. No flagra mais recente, já é possível notar que o facelift não será exatamente profundo, mas promoverá alterações suficientes para deixar hatchback atualizado diante da concorrência até a chegada da próxima geração. A inspiração virá diretamente do chamado K-ZE, versão elétrica apresentada recentemente na Ásia.

Na dianteira, o Renault deverá modificar o desenho dos faróis e adicionar luzes diurnas de LED com espessura fina e posicionamento horizontal. Além disso, haverá integração direta com a grade frontal e, logo abaixo, mais um conjunto de faróis formará uma espécie de iluminação em dois andares (recurso que vem se tornando cada vez mais comum em lançamentos recentes). Por fim, o para-choque dianteiro será inteiramente remodelado e abrigará uma gigantesca entrada de ar na parte inferior. Laterais ganharão apenas calotas redesenhadas, enquanto a traseira terá para-choque com novo formato e lanternas com nova disposição internas de luzes.

Há expectativa também para novidades na lista de equipamentos, vindas principalmente do elétrico City K-ZE. Entre elas, destaque para a central multimídia com tela de 8 polegadas, que certamente estará disponível apenas nas versões mais caras. Já na mecânica, a variante vendida na Índia seguirá sem modificações: motores 0.8 de 54 cv e 1.0 de 68 cv, com câmbio manual de 5 marchas ou automatizado para a versão 1.0. A Renault trabalha em um novo 1.0 turbo, mas deverá usá-lo apenas na minivan Triber, apresentada recentemente na Índia e prometida também para a América Latina. O lançamento é aguardado para o final do ano no mercado indiano. No Brasil ainda não há previsão.

Fonte: PowerStroke