Fenabrave revê projeções e espera crescimento menor em 2019

Setor de distribuição espera aumento de 8,3% das vendas no ano; previsão anterior apontava alta de 11,1%

27

Fenabrave revê projeçõesFenabrave revê projeções

A Fenabrave, que reúne o setor de distribuição, revisa suas projeções de vendas para 2019 e divulga os novos números na terça-feira, 2, ao apresentar o balanço do setor para o primeiro semestre. Em nova previsão, a entidade aponta que o volume de emplacamentos deverá atingir as 2,78 milhões de unidades, na soma de veículos leves e pesados, o que representaria aumento de 8,3% sobre o volume do ano passado, que foi de 2,56 milhões. Na última projeção, divulgada em abril, o setor de distribuição havia previsto a venda de 2,85 milhões de unidades, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus: o volume então representava um crescimento de 11,1%.


– Faça aqui o download dos dados da Fenabrave


 

“Em abril, tínhamos um cenário mais favorável e positivo; com o PIB crescendo menos, desemprego ainda em alta e o desenrolar das reformas, há uma queda na confiança, o que prejudicou o desempenho do primeiro semestre e deverá também afetar o segundo”, disse o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr.

 

Entre os segmentos, apenas o de caminhões teve o índice de crescimento revisado para cima, enquanto os demais – automóveis, comerciais leves e ônibus – agora têm índices de crescimento menores do que na previsão anterior, divulgada em abril.

Com a revisão, a Fenabrave agora prevê a venda de 2,66 milhões de veículos leves, um aumento de 8% sobre 2018, quando o volume chegou a 2,47 milhões. Na previsão anterior, a entidade apontava para o emplacamento de 2,74 milhões de automóveis e comerciais leves, o que representaria um crescimento de 10,9%.

Entre as duas categorias, a revisão indica que as vendas de automóveis devem chegar a pouco mais de 2,25 milhões de unidades, o que se for confirmado, representará avanço de 7,4% sobre o resultado do ano passado. Já em comerciais leves, as concessionárias apostam em aumento de 10,9%, para um total de 409,2 mil unidades. Antes, os índices apontavam aumento de 10,3% e de 14,5%, respectivamente, para 2,31 milhões de automóveis e 422,4 mil comerciais leves.

No segmento pesado, o volume atual prevê a venda de 112,6 mil unidades, entre caminhões e ônibus, evoluindo 17,8% sobre o ano passado, que foi de 95,5 mil. Na previsão anterior, a Fenabrave esperava a venda de 111,2 mil e aumento de 16,3%.

“Acreditamos que o segundo semestre será ainda melhor para o segmento de caminhões, ainda puxado pela categoria pesada, que segue sendo impulsionada pelo agronegócio”, comentou Assumpção.

Os caminhões tiveram seu volume revisado para cima: a entidade projeta a venda de 89,8 mil unidades, incremento de 17,6%. Antes, as concessionárias indicavam aumento de 15,4%, para um total de 88,2 mil caminhões emplacados.

Por sua vez, os ônibus tiveram seu índice de crescimento reduzido de 20,1% para 19%, passando de 23 mil para 22,7 mil.