Fabricantes mantêm otimismo no segundo semestre

Montadoras consideram desempenho positivo e alta das vendas pode até superar o previsto

69
Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea, apresenta o balanço da indústria no primeiro semestre (Foto: Mário Curcio)

 

Anfavea mantém o otimismo

A Anfavea mantém o otimismo para o segundo semestre, quando espera um bom desempenho do mercado a exemplo do que ocorreu no primeiro, quando as vendas de veículos cresceram 12,1% na comparação com o mesmo período do ano passado, ao emplacar pouco mais de 1,3 milhão de unidades, entre leves e pesados. Ao divulgar o balanço da indústria na quinta-feira, 4, a associação que reúne as fabricantes manteve a projeção para o mercado: neste ano, as montadoras esperam vendas 11,4% acima do ano passado, mas já sinalizam que o volume pode ser até um pouco maior que o esperado de 2,86 milhões.


– Faça aqui o download dos dados da Anfavea


 

Para atingir o volume previsto de vendas para o ano, faltam pouco mais de 1,55 milhão de unidades, sempre considerando a soma de leves e pesados. Em média, em cada mês deverá ser vendido 258,6 mil veículos: até agora, o maior volume mensal foi registrado em maio, com o emplacamento de 245,4 mil unidades.

Parte do otimismo vem do desempenho do setor verificado em junho: mesmo com três dias úteis a menos do que maio, os emplacamentos atingiram volume expressivo de média diária, de 11,7 mil unidades, a melhor para junho desde 2015.

Segundo o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, alguns dias de junho chegaram a atingir a venda diária de 15 mil, 18 mil e um pico de 21 mil veículos em um único dia.

Para o segundo semestre, o executivo reforça que alguns indicadores econômicos apontam para um cenário favorável, o que pode impactar positivamente o desempenho do setor. Ele cita que ainda há espaço para redução da taxa de juros sem gerar inflação, que também segue no controle. Com juros menores, o crédito fica mais barato, podendo atrair mais consumidores às concessionárias. Ao mesmo tempo, a inadimplência do setor continua em baixa e é uma das menores do mercado, com índice de 3,5%. Dados citados pelo executivo mostram que a oferta de crédito aumentou 22% na primeira metade do ano.

“Ainda temos um semestre inteiro pela frente, o jogo ainda não acabou. Considerando este cenário, não mexemos na previsão de mercado e é possível ser até um pouco melhor do que o aumento [previsto] de 11%”, afirma o presidente da Anfavea.

 

Moraes voltou a defender a aprovação da reforma da previdência como fator que, segundo ele, irá alavancar a confiança geral no País e gerar expectativas mais positivas sobre o futuro da economia. O representante da indústria conta que na última semana a Anfavea e outras 50 entidades assinaram um documento de apoio à reforma da previdência e entregaram em mãos ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Para Moraes, o cenário mais positivo das vendas de veículos no segundo semestre poderá compensar em parte a perda de 140 mil unidades com a queda das exportações.