Mercado de lubrificantes tem alta de 5% no primeiro quadrimestre

345

O mercado brasileiro de lubrificantes teve uma expressiva alta de 5% nos primeiros quatro meses de 2019, comparados ao mesmo período de 2018, com um volume de cerca de 443.783 metros cúbicos. O resultado, a princípio surpreendente, mostrou que ótimo desempenho dos óleos lubrificantes ficou em consonância com a alta dos mercados automobilístico, de autopeças e máquinas agrícolas. O estudo realizado pela revista Lubes em Foco levou em consideração o ajuste necessário aos números publicados pela ANP, de acordo com pesquisa de mercado.

Um fevereiro que ajudou o mercado de lubrificantes

Outro ponto importante a ser levado em conta é que pela primeira vez em cinco anos, tivemos um mês de fevereiro com 20 dias úteis, uma vez que os feriados de carnaval aconteceram nos primeiros dias de março. Isso contribuiu para que quase todos os segmentos da sociedade tivessem um bom desempenho naquele mês.

As exportações de óleos lubrificantes, foram recorde no período, com 25.316 m3, que embora não seja um volume impactante no total do mercado, representa mais do que o dobro da média das últimas décadas.

A participação de mercado das empresas também sofreu leve alteração, com a BR Distribuidora retomando a liderança com 20,5%, ficando a Iconic em segundo lugar com 20%, seguida das demais empresas da Associação Plural. É interessante notar que, nesse primeiro quadrimestre, a participação de outras empresas cresceu no período, atingindo 23,6%.

 

 

 

 

 

 

 

 

O mercado brasileiro de óleos básicos

O mercado de óleos básicos não acompanhou o crescimento dos óleos acabados, principalmente considerando que as refinarias produtoras de lubrificantes tiveram um desempenho bastante baixo, sendo que apenas a Reduc conseguiu, até agora, retomar um ritmo de produção adequado.

As importações, com 36%, e a indústria do rerrefino com 21%, contribuíram também de forma importante para o suprimento do mercado.É importante notar, que a revista Lubes em Foco pesquisa e analisa os números de mercado que são disponibilizados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, fazendo adicionalmente uma análise com outros números publicados no mercado, como os da Associação Plural / FGV, e ainda uma pesquisa própria com fabricantes, produtores de óleos básicos, importações e uma análise comparativa com outros desempenhos de indústrias correlatas.

Estamos atentos ao mercado, e qualquer alteração nas publicações, mesmo aquelas de caráter retroativo que podem afetar meses anteriores, serão consideradas nas análises futuras.

Uma matéria mais completa mostrando todos os aspectos do mercado, inclusive com análise dos óleos básicos e rerrefino, deverá ser apresentada na próxima edição da revista Lubes em Foco.