EUA anunciam apoio oficial à entrada do Brasil na OCDE

42
Brasil na OCDE
Sede da OCDE, em Paris

Brasil na OCDE

BRASÍLIA (Reuters) – O governo norte-americano anunciou nesta quinta-feira apoio oficial à entrada do Brasil na OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, informou o Ministério das Relações Exteriores.

“Hoje na OCDE os EUA expressaram de modo claro e oficial seu apoio ao pleito do Brasil de ingressar na OCDE, uma prioridade do presidente Jair Bolsonaro. O Brasil agradece o gesto de confiança e está pronto a trabalhar com todos os membros e Secretariado no processo de acessão”, disse o ministério.

Reunião da OCDE

Em Paris, onde está para a reunião da OCDE, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, classificou de “importantíssimo” o apoio norte-americano.

“Foi importantíssimo no nosso caminho para nos tornarmos membro pleno da OCDE. O presidente (Donald) Trump já tinha garantido seu apoio de maneira muito clara, de modo que a confirmação era esperada aqui, no ambiente da OCDE”, disse Araújo.

“Isso foi extremamente relevante. Era talvez a principal peça que faltava para que nós pudéssemos começar o processo de adesão no mais breve tempo possível”, acrescentou.

Brasil na OCDEO apoio

O apoio foi prometido pelo presidente dos EUA durante a visita de Bolsonaro a Washington, em março. Em troca, o Brasil se comprometeu a abrir mão do tratamento especial e diferenciado na Organização Mundial do Comércio (OMC), ao qual tem direito por ser um país em desenvolvimento, e que traz condições favoráveis em negociações.

No entanto, no encontro preparatório para reunião do Conselho da OCDE, no mês passado, os norte-americanos evitaram declarar o apoio. A alegação é que não tinham instrução formal para isso.

Em seguida, depois da repercussão, o Departamento de Estado norte-americano reafirmou a intenção de apoiar o Brasil no órgão.

Nesta quinta-feira, a embaixada dos EUA no Brasil reafirmou que o país mantém o apoio ao Brasil.

Brasil começará o processo de adesão

Com o apoio norte-americano, que antes bloqueava a expansão da OCDE, o Brasil deverá começar em breve o processo de adesão, que pode levar até cinco anos para ser completado.

Além do Brasil, Argentina e Romênia também devem iniciar seus processos de adesão. Os europeus ainda tentam incluir mais um país da região —possivelmente a Bulgária—, alegando uma questão de equilíbrio regional.

“Os europeus têm as preocupações deles com o equilíbrio regional, mas isso é algo a ser discutido entre os membros atuais”, disse Araújo.