Controle eletrônico de estabilidade Continental – ESC

Empresa investiu R$ 23 milhões em nova linha e contratações em Várzea Paulista

48

controle eletrônico de estabilidadeControle eletrônico de estabilidade

Continental inaugurou em sua fábrica de Várzea Paulista (SP) uma linha dedicada à produção de sistemas de freio ABS com controle eletrônico de estabilidade ESC. A nacionalização resulta de um investimento de R$ 23 milhões entre modernização da fábrica e contratações. O equipamento de segurança se tornará obrigatório a partir de 2020 para novos projetos de veículos até 3,5 mil quilos. E terá de equipar todos os modelos produzidos a partir de 2022 que se enquadrem nessa categoria.

A nova linha ainda opera em dois turnos. Com três, a capacidade instalada sobe a 700 mil unidades por ano. Será ampliada para 900 mil em 2020 e poderá chegar a 1,2 milhão de unidades por ano em 2021, o que depende de novos investimentos.

Outros recursos eletrônicos

A localização do equipamento abre espaço para a oferta de outros recursos eletrônicos nacionalizados, como frenagem autônoma de emergência (AEB), piloto automático capaz de frear e reacelerar (ACC), monitoramento da pressão dos pneus (TPMS) e freio de estacionamento com atuação elétrica para veículos com tambor traseiro em vez de disco.

A empresa já fornecia localmente o ESC como item importado para montadoras como Fiat, Ford, Honda, Hyundai, General Motors, PSA e Volkswagen, entre outras, e passa agora a entregar o equipamento nacionalizado.

“A localização traz sempre vantagem para os clientes, sobretudo agora com a alta do dólar”, afirma o presidente e CEO da Continental para a América do Sul, Frédéric Sebbagh.

 

Sebbagh recorda que os componentes utilizados no ESC nacional são trazidos da Alemanha, China e México. A linha de produção também foi fabricada na China. A Continental começou a produzir o sistema ABS no Brasil em 2013 e o projeto para a nacionalização do ESC teve início em 2017. Segundo a Continental, o controle eletrônico de estabilidade consegue reduzir em 72% as capotagens e 49% as fatalidades em caso de perda de controle do veículo.