ZF fecha acordo para comprar Wabco por US$ 7 bilhões

Duas empresas somam forças no fornecimento para veículos comerciais que podem gerar vendas de € 40 bilhões

123

ZF fecha acordo para comprar Wabco

ZF prossegue em sua rota de expansão global via aquisições bilionárias de empresas que complementam o seu já extenso portfólio de produtos. Na quinta-feira, 28, a companhia alemã anunciou que fechou acordo para comprar a Wabco por valor estimado de US$ 7 bilhões, em dinheiro. A fusão cria uma nova gigante no fornecimento de componentes e sistemas para veículos comerciais, que terá faturamento estimado em € 40 bilhões, segundo comunicado divulgado pela ZF.

Wabco

Com sede global em Berna, na Suíça, mas de origem nos Estados Unidos e ações negociadas na Bolsa de Nova York (por isso o preço de aquisição é fixado em dólares), a Wabco é uma das maiores fornecedoras para veículos comerciais pesados de sistemas de atuação em direção, freios, válvulas, ABS, controle eletrônico de estabilidade (ESC), centrais eletrônicas de controle de transmissões, entre outros itens. Ao lado dos principais fabricantes globais de caminhões, ônibus e carretas, a ZF também é cliente da Wabco, que fornece componentes suplementares para os eixos e transmissões. Por isso a fusão traz complementações importantes de produtos e faturamento.

Depende de aprovação de acionistas

A aquisição deve ser concluída no início de 2020, pois ainda depende de aprovação de acionistas da Wabco e autoridades de fiscalização de mercado. Caso seja efetivado, o negócio faz a ZF dar um novo salto na posição de maior fornecedor da indústria automotiva mundial, que em 2018 apurou faturamento de € 36,4 bilhões, com 146 mil empregados em 230 endereços de 40 países – inclusive no Brasil, onde a empresa tem seis fábricas.

A centenária companhia alemã – fundada em 1915 para produzir engrenagens para os dirigíveis projetados pelo Conde Zeppelin – fez sua mais recente grande ampliação vertical e horizontal há quatro anos, quando a ZF concluiu a compra da americana TRW por cerca de US$ 12 bilhões, o que aumentou significativamente a atuação no segmento de veículos leves com sistemas de freios, direção, segurança e sensores. Um ano depois, em 2017 o negócio adicionou quase € 9 bilhões às vendas globais da ZF.

União para enfrentar transformações

Assim como a ZF, a Wabco também é uma empresa centenária, originária da divisão de freios a ar da Westinghouse, fundada há mais de 150 anos. Com operação em 40 países, 16 mil empregados e 28 fábricas (uma no Brasil, na região de Campinas, SP), a Wabco registrou vendas globais de US$ 3,8 bilhões em 2018. Significativamente menor do que sua compradora, a companhia vem fazendo intensivos investimentos no desenvolvimento de novas tecnologias de eletrificação e automação, mas seus gestores reconhecem que, para continuar crescendo e fazer frente à concorrência de gigantes de dentro e fora do setor automotivo, precisavam de estrutura e caixa maiores para atender as novas e crescentes demandas tecnológicas que estão transformando a indústria.

Vemos grandes oportunidades à frente, mas elas estão mais desafiadoras de serem aproveitadas. Nosso setor encara um novo nível de complexidade tecnológica e atrai novos competidores, que trazem recursos sem precedentes ao nosso meio. Esse cenário antecipa a necessidade de grandes investimentos e novas alianças para desenvolver tecnologias em novos domínios. Por isso acreditamos que este é o momento apropriado para unir forças com a ZF. Essa união nos dará acesso a tecnologias críticas em escala global, para reduzir os riscos sobre os investimentos Jacques Esculier - CEO da Wabco

Portfólio da ZF

Para a ZF, a aquisição traz ao seu portfólio pela primeira vez o domínio de sistemas de freios para veículos comerciais, que se integram às soluções de assistência avançada ao motorista desenvolvidas pela ZF, incluindo a frenagem de emergência que atua sobre freios e direção. Com isso, a companhia espera acelerar o desenvolvimento de sistemas autônomos de direção para caminhões e ônibus. Dentro do seu plano estratégico de desenvolver tecnologias que possam dar aos veículos a capacidade de “ver, pensar e agir”, a ZF já domina a produção de sensores e centrais de processamento que “veem e pensam”. Os atuadores projetados pela Wabco trazem agora a “ação” a esse processo e fecham o ciclo tecnológico arquitetado pela ZF.

Para a ZF, a aquisição de um especialista em sistemas de frenagem significa acrescentar à empresa um segmento de negócios estável e crescente, que permite à nossa divisão de veículos comerciais expandir sua especialidade em controles de dinâmica veicular. Isso cria as fundações para a ZF oferecer sistemas completos de segurança e mobilidade para o transporte de passageiros e cargasWolf-Henning Scheider - CEO da ZF

Recursos em caixa

Após a compra da TRW, o faturamento cresceu até acima do que era esperado e a ZF quitou mais rapidamente seu endividamento. Com isso, sobraram recursos para ir às compras novamente. “A pretendida aquisição estratégica da Wabco vem em boa hora para a ZF. Depois da bem-sucedida integração com a TRW, as dívidas foram significativamente reduzidas. De fato, nós superamos as metas de redução de endividamento. A Wabco é uma empresa saudável e em crescimento, com fluxo de caixa robusto, o que faz deste um casamento perfeito com a ZF e garante a implementação de nossa estratégia”, avaliou Konstantin Sauer, o chefe financeiro (CFO) da ZF.

A transação precisará ser aprovada por no mínimo 50% dos acionistas da Wabco. Pelo acordo fechado na quinta-feira, a ZF vai oferecer a eles US$ 136,50 por ação, um prêmio de 13% sobre a cotação de US$ 120,75 registrada no dia 26 de março, ou ágio de 18% e 23% ante o preço médio das ações apurado nos últimos 30 e 90 dias.

Graças ao perfil de fluxo de caixa de ambas as empresas, a ZF espera reduzir ainda mais o endividamento após a consolidação da fusão com a Wabco.