Metalúrgicos terão encontro com Mourão sobre Ford

248
Metalúrgicos de São Bernardo do Campo
Metalúrgicos de São Bernardo do Campo

Metalúrgicos de São Bernardo

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, SP, Wagner Santana, informou que a entidade conseguiu marcar uma audiência para esta sexta-feira, 1, com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, para discutir o fechamento da fábrica da Ford no ABC paulista.

O dirigente comandou nesta quinta-feira, 28, uma plenária com os trabalhadores da montadora, quando revelou que a entidade havia solicitado um encontro com a presidência da República. “Pedimos essa reunião na quarta-feira, 27, e soubemos agora que está agendada para hoje (sexta-feira). Vamos lá explicar a situação dos trabalhadores e dar a dimensão do impacto de uma decisão como essa para a região e para o País”.

Governo federal tem um papel importante

Na avaliação de Santana, o governo federal tem um papel importante nessa discussão, na qual está em jogo a preservação de empregos. Na véspera, os dirigentes do sindicato tinham se reunido com o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, para também discutir a crise da Ford. A entidade está solicitando um encontro com o governador João Doria, mas até o momento nada foi marcado.

“O trabalhador desempregado vai demandar da administração pública algumas questões que geram custo a mais ao governo, como por exemplo o pagamento do seguro desemprego. Por isso estamos procurando as autoridades municipal, estadual e federal sem constrangimento nenhum, apresentando nossa pauta e buscando o apoio deles para a reversão dessa decisão”, enfatizou.

Ações que vêm sendo realizadas

Na plenária desta quinta-feira no sindicato, os trabalhadores ouviram os relatos dos sindicalistas sobre as ações que vêm sendo realizadas, entre as quais o encontro já marcado para a próxima quinta-feira, 7, com a direção mundial da Ford, nos Estados Unidos. No mesmo dia está agendada uma passeata em São Bernardo e para o dia 12, terça-feira, o sindicato convocou uma assembleia com os trabalhadores na portaria 18 da fábrica.