O mercado brasileiro de lubrificantes

212
Mercado brasileiro de lubrificantes
Participação por empresa (%)

A tarefa de levantar números precisos para o mercado de lubrificantes nunca foi fácil e tem sido um grande desafio até mesmo para o sistema informatizado de movimentação de produtos da ANP (SIMP), que precisa ser alimentado com números enviados pelo mercado.

Dessa forma, a necessidade de uma análise crítica sobre os números, aliada a uma pesquisa específica com os principais players do mercado, é imprescindível para que possamos entender melhor o ambiente e as particularidades e chegarmos a um número aproximado com mais acurácia.

Fatores relevantes em 2018

O mercado de lubrificantes tem historicamente acompanhado o desenvolvimento do país e, mais especificamente, do setor industrial. Em 2018, com impactos da greve dos caminhoneiros e também das eleições, o PIB Nacional cresceu timidamente, atingindo cerca de 1,1%, enquanto a indústria automobilística apresentou um desempenho muito bom. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor de veículos, motos, partes e peças teve um crescimento de 15,1% em 2018, o maior em 11 anos. A alta foi puxada pela redução de impostos e os lançamentos de carros novos. Enquanto isso, a produção do agronegócio acenou com boas perspectivas, fazendo com que a produção de máquinas agrícolas crescesse 23,8% em 2018.

Outro fator importante nessa análise é o comportamento do mercado de óleos básicos no ano passado. Foi observado um crescimento de 19% no mercado total desse insumo, com recorde de importação, aumento da produção nas refinarias brasileiras e crescimento nas vendas de básicos rerrefinados.

Leia o restante do artigo na revista LUBES EM FOCO – edição 70, apresentada abaixo: