Sugestões para elevar a vida útil dos filtros de combustíveis

232

Marcos Thadeu Lobo

Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional de Suporte Técnico em Produtos. E atualmente exerce a função de Consultor Técnico Sênior.

Com    o  advento  dos   modernos  sistemas  de  injeção de Óleo  Diesel    Rodoviário ( B S500/B S10 ) em  motores  de  combustão  interna  Ciclo  Diesel 4T com tecnologia para atender à  legislação  referente a limites de emissões PROCONVE MAR-1 ( Tier 3/Stage IIIA ) fez-se necessário a utilização de filtros “on-board” nos equipamentos móveis do setor agrícola e de construção civil com elementos filtrantes com reduzido Tamanho Médio de Poros ( 2 – 5 microns )   em função das pequeníssimas folgas dinâmicas dos elementos móveis existentes nos sistemas de injeção de combustível, da ordem de 2 microns ( ex. Common Rail; EUI; HEUI ).

 

Figuras 1/2 – Sistema de injeção de combustível Common Rail: filtros de combustível “on-board” de equipamentos móveis com reduzido Tamanho Médio de Poros

Tem-se observado a busca dos produtores rurais de soluções técnicas visando  o aumento da vida em serviço dos filtros de combustível “on-board” dos equipamentos móveis agrícolas  em função da obstrução precoce com “borra negra”.

Figuras 3/4 – “Borra negra” em filtros de combustível “on-board”

  1. OBJETO

Com o elevado grau de modernização pelo qual passa a atividade agrícola a paralisação indesejada dos equipamentos móveis utilizados no plantio, trato e colheita de grãos ( tratores agrícolas de pneus, pulverizadores auto-propelidos, colhedoras de grãos etc. ) fora dos períodos previstos de manutenção preventiva é altamente custosa ao produtor rural não apenas pela elevação dos custos de manutenção mas, principalmente, pela indisponibilidade do maquinário em períodos críticos, caso do plantio e da colheita.

 

 

 

 

Figuras 5/6 – Equipamentos móveis do setor agrícola tem que estar disponíveis

A elevação da vida em serviço dos filtros de combustível “on-board ” em equipamentos móveis do segmento agrícola pode ser conseguida com:

2.1. Drenagem semanal dos tanques de armazenamento de combustível em granel através do registro de drenagem com vistas a eliminar-se água condensada, borra oriunda da oxidação natural do Óleo Diesel Rodoviário ( B S500/B S10 ) e borra microbiológica.

Figuras 7/8 – Drenagem semanal dos tanques de armazenamento de combustível

2.2. Utilização  regular  de óleo diesel aditivado, em função de sua eficiente ação detergente-dispersante que contribuirá para a diluição da “borra negra” que encurta a vida em serviço dos filtros de combustível “on-board” dos equipamentos móveis.

 

Figuras 9/10 – Óleo Diesel Aditivado auxilia na dissolução da “borra negra”

2.3. Utilização de sistema de filtração de Óleo Diesel Rodoviário ( B S500/B S10 ) em granel composto por:

2.3.1.  FILTRAÇÃO PRIMÁRIA:  filtros nominais do tipo prensa ou desidratadores utilizando elementos filtrantes com Tamanho Médio de Poros de 5 microns.

Figuras 11/12 – Filtração primária com filtros desidratadores ou do tipo prensa

2.3.2. FILTRAÇÃO SECUNDÁRIA: filtros coalescentes/separadores/micrônicos com elementos filtrantes possuindo Tamanho Médio de Poros de 5 microns.

Figuras 13/14 – Filtros coalescentes/separadores/micrônicos

2.3.3. Caso sejam utilizados comboios de abastecimento para dispensa de Óleo Diesel Rodoviário (S500 / S10 ) aos equipamentos móveis em operação no campo recomenda-se que sejam instalados, também, filtros coalescentes/separadores/micrônicos com elementos filtrantes com Tamanho Médio de Poros de 5 microns tendo em vistas a retenção de água condensada e material particulado sólido existente em abundância nestes locais.

Figuras 15/16 – Filtro coalescente/separador/micrônico em comboio de abastecimento

 

2.3.4. Instalação de filtro dessecante e para material particulado sólido no tubo de respiro do tanque de armazenamento de combustível em granel com vistas a evitar a contaminação do Óleo Diesel Rodoviário ( S500/ S10 ) água condensada e material particulado sólido abrasivo oriundo da atmosfera.

Figuras 17/18– Filtro dessecante e para material particulado sólido em respiradouro

  1. CONCLUSÃO

Com as sugestões anteriormente apresentadas tenciona-se a elevação da vida útil em serviço dos filtros de combustível “on-board” utilizados em equipamentos móveis do setor agrícola utilizados com vistas a evitar-se as custosas paralisações fora dos períodos previstos de manutenção preventiva sugeridos pelos OEMs.

Figuras 19/20 – Elevação do teor de biodiesel para 10% e modernização

dos sistemas de injeção de combustível demandam melhorias nos sistemas de filtração em granel do Óleo Diesel Rodoviário ( B S500/B S10)

A      modernização       dos   sistemas   de    injeção    de   Óleo      Diesel    Rodoviário  nos equipamentos móveis do setor agrícola e da construção civil em função  da  legislação  referente  aos   limites  de  emissões       PROCONVE  MAR-1 ( Tier 3/Stage IIIA ) demandou o uso de filtros de combustível “on-board” dos equipamentos móveis com menor Tamanho Médio de Poros ( 2 – 5 microns ) o que juntamente com a elevação do teor de biodiesel ( B100 ) ao Óleo Diesel de origem mineral para 10% faz-se necessária a adoção de melhorias nos sistemas de filtração em granel do Óleo Diesel Rodoviário com vistas a aumentar-se a vida útil dos filtros de combustível “on-board” dos equipamentos móveis e elevação da disponibilidade do maquinário.

CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO DA LEGISLAÇÃO PROCONVE MAR-1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outros artigos do Autor

Líquido de arrefecimento tem função importante no motor

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Formação de verniz em sistemas de lubrificação – PARTE 2

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Testando a demulsibilidade do óleo lubrificante

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Formação de verniz em sistemas de lubrificação – PARTE 1

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Requisitos para lubrificação de compressores de refrigeração

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...