Motores a combustão alcançaram auge de vendas em 2018

Até então, previsões indicavam que demanda cresceria pelo menos até 2022

38

Motores a combust'aoMotores a combustão alcançaram auge

Apesar da ampliação da oferta de modelos elétricos nos mais variados mercados do mundo, era tido como certo que pelos próximos anos os motores a combustão continuariam a desempenhar papel fundamental no desenvolvimento indústria. A chamada virada tecnológica não aconteceria de maneira tão imediata e os propulsores tradicionais deveriam manter posição de destaque por pelo menos mais duas décadas. Esse entendimento, no entanto, começa a ficar datado diante da constatação, por parte de alguns especialistas, de que os propulsores a combustão já atingiram seu pico máximo de vendas – e foi no ano passado.

Pico de vendas de motores a combustão em 2018

“Provavelmente veremos o pico de vendas de motores a combustão em 2018 com base nas vendas globais até outubro, além de estimativas para novembro e dezembro”, disse Felipe Munoz, analista automotivo global da Jato Dynamics, ao Financial Times. Em janeiro de 2018, as previsões indicavam que a demanda por carros movidos combustíveis fósseis continuaria a crescer até atingir seu ápice em 2022. Acontece que a queda registradas nas vendas de carros novos nos três maiores mercados do mundo – Europa, EUA e Chin – acabou por mudar significativamente as estimativas.

Motor 2.0 Turbo - Accord 2019

Expectativa é que vendas de elétricos quadruplique

Para 2019, a expectativa é que as vendas de veículos elétricos quadrupliquem e que a participação de mercado alcance algo em torno de 1,6%. Por sua vez, veículos equipados com motores tradicionais perderão representatividade (apesar de continuarem sendo a esmagadora maioria).

Fonte: Financial Times via Futurism and TheDrive