Confiança do empresário é a maior dos últimos oito anos

ICEI sobe para 63,2 pontos em novembro e está nove pontos acima da média histórica. Isso é resultado da melhora da percepção sobre as condições atuais dos negócios e das expectativas para os próximos seis meses

43

Confiança do empresário

Confiança do empresário

“O aumento da confiança é generalizado”, afirma a pesquisa. O ICEI alcançou 65,7 pontos na indústria extrativa, ficou em 63,8 pontos na indústria de transformação e atingiu 60,7 pontos na construção. A confiança é maior nas grandes empresas, segmento em que o ICEI subiu para 63,9 pontos em novembro. Nas pequenas empresas, o índice ficou em 61,9 pontos e, nas médias, em 63 pontos.

“Conhecidos os resultados das eleições, há expectativas muito positivas em relação às mudanças que virão e às reformas que podem estimular o crescimento econômico e melhorar o ambiente de negócios”, afirma o gerente-executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco. Ele explica que a recuperação da confiança é importante para a economia. “Empresários mais confiantes têm mais disposição para investir, tomar riscos, contratar trabalhadores e comprar mais matérias-primas. Isso torna o ambiente mais propício ao crescimento”, diz Castelo Branco.

O otimismo dos empresários

O otimismo dos empresários é resultado da melhora da avaliação das condições atuais dos negócios e das expectativas sobre o desempenho das empresas e da economia nos próximos seis meses. O indicador sobre as condições atuais das empresas e da economia subiu para 52,7 pontos em novembro e ficou acima da linha divisória dos 50 pontos. O índice de expectativas subiu para 68,5 pontos, mostrado que os empresários estão muito otimistas com o comportamento dos negócios e da economia nos próximos seis meses.

Esta edição do ICEI foi feita entre 1º e 14 de novembro com 2.692 empresas. Dessas, 1.068 são de pequeno porte, 1.015 são médias e 609 são de grande porte.