Vendas de implementos até setembro já superam 2017

Em nove meses, fabricantes emplacaram 63,8 mil unidades; no ano passado inteiro foram 61,9 mil 

17

Implementos rodoviários

As vendas de implementos rodoviários seguem em alta: de janeiro a setembro, o mercado registrou o emplacamento de mais de 63,8 mil unidades, na soma dos segmentos leves e pesados (reboques, semirreboques e carrocerias sobre chassis), volume 53,4% maior do que o registrado em mesmo período do ano passado. Além disso, os dados divulgados pela Anfir, associação das fabricantes, mostram que este volume também já é maior do que o total de implementos vendidos em todo o ano de 2017, quando o mercado absorveu 61,9 mil unidades.

O segmento

O segmento – que se beneficia pela recuperação do mercado de caminhões – registrou aumento das vendas em quase todas as categorias, tanto de reboques e semirreboques quanto de carrocerias sobre chassis. Nos pesados, houve aumento expressivo de 83,5% do volume emplacado, para um total de 31,7 mil unidades contra as 17,3 mil feitas em mesmo período acumulado do ano passado. No entanto, apesar da alta significativa em termos absolutos, a base de comparação ainda é baixa.

Nos leves – carrocerias sobre chassis – as vendas somaram pouco mais de 32 mil unidades em nove meses, aumento de 31,9% sobre igual intervalo de 2017.

A recuperação

“Sem a recuperação completa ficamos diante de dados parciais que resultam em efeito estatístico que mascara a realidade”, afirma em nota o presidente da entidade, Norberto Fabris, se referindo ao potencial do mercado.

Ele compara o volume atual de vendas do setor até setembro com o emplacamento visto em 2014, que antecedeu a crise econômica no País: nos mesmos nove meses daquele ano, o volume foi um pouco acima de 117 mil unidades.

“Sem a retomada sólida dos negócios a indústria demorará mais tempo para repor as perdas acumuladas nos anos de crise”, conclui.