A tecnologia e a transformação do mercado de trabalho

0
60

Gustavo Eduardo Zamboni

Engenheiro Industrial formado pela Universidade de Buenos Aires com pós-graduação em Marketing e Sistemas de Informação (PUC-RJ). Desenvolveu sua carreira em empresas como Ford, Texaco e RJ. Reynolds onde ocupou a posição de Diretor de Trade Marketing. Há mais de 20 anos é Diretor da Agência Virtual e da Editora ONZE.

O mercado de trabalho

A medida em que a tecnologia avança e transforma o mundo em que vivemos, fica claro que aos poucos ela substituirá muitos dos trabalhos que fazemos. Não somente os trabalhos manuais ou os que requeiram pouca qualificação, mas também o trabalho intelectual. Grande parte das análises de comportamento de compra estão sendo hoje realizadas por algoritmos de Inteligência Artificial.

Porém, simultaneamente estão acontecendo outras mudanças que podem levar a “dimensão humana do trabalho” a um novo patamar, já que a tecnologia está reformulando as tendências de oferta e demanda que impulsionam os mercados. Mas como?

A demanda

No que se refere à demanda, a tecnologia está entregando aos clientes um poder enorme oferecendo a eles a possibilidade de acesso a um infindável volume de informações para poderem avaliar as opções disponíveis no mercado, e assim, dar-lhes a possibilidade de trocar facilmente de um fornecedor para outro que possa atender melhor suas necessidades.

Isso também faz com que, nós consumidores, nos tornemos muito mais exigentes e, assim, menos dispostos a nos conformar com produtos padronizados do mercado de massa passando a procurar produtos de nicho que se ajustem melhor a nossos desejos e necessidades.

Aumentando esse desafio, o mundo está migrando do conceito de propriedade para o de precificação baseados no uso, pagando somente pela utilização real do produto ou serviço que precisamos. Em muitas cidades brasileiras você pode desfrutar de uma bicicleta pagando somente pelo tempo que realmente a utilizou. Não é mais necessário “ter” uma bicicleta.

A oferta

Com relação à oferta, a tecnologia aumenta o leque de opções e ao mesmo tempo reduz o ciclo de vida de diversos produtos. Recentemente a introdução de novos processos de manufatura revolucionou o mercado produtivo. Hoje usando técnicas de manufatura aditiva você pode fabricar qualquer objeto usando uma combinação de software, hardware e impressão 3D. Dessa forma o uso de manufatura aditiva facilita a produção de produtos altamente personalizados, de forma individual ou em pequena escala. Assim, o acesso a novas opções de produtos e a diversas informações fazem com que novos produtos entrem mais rapidamente no mercado desafiando os já estabelecidos e bem sucedidos e, reduzindo assim, seus ciclos de vida.

Como consequência disso, produtos e serviços de massa estão perdendo espaço para produtos e serviços especializados, criativos e personalizados em diversos mercados.

Fica claro que esses novos fornecedores ao invés de nos ver como simples consumidores nos percebem como uma pessoa singular, com necessidades específicas e sabem que seu sucesso dependerá da sua capacidade de compreender e atender a essas necessidades.

Como resultado dessa transformação, a natureza do trabalho sofrerá uma profunda alteração. Nos mercados de massa as máquinas assumirão de forma crescente todas as tarefas rotineiras afetando diretamente o trabalho. Já no mercado de produtos personalizados o trabalho sofrerá também alteração, pois a única forma de criar valor para o consumidor dependerá da capacidade de cada fornecedor de mexer com as capacidades humanas como curiosidade, imaginação, criatividade, inteligência emocional ou social.

3 categorias diferentes de trabalho

Veremos três categorias diferentes de trabalho se tornarem cada vez mais importantes em uma economia em rápida mudança.

Na primeira categoria, veremos aumentar o volume de negócios para “criadores de conteúdo”, pessoas que podem antecipar as necessidades, em evolução, dos clientes individuais e baseado nisso projetar e fornecer produtos e serviços criativos altamente personalizados. Veremos então um crescente aumento do número de empresas artesanais como já pode ser observado em setores como cervejas e chocolates

Na segunda categoria, podemos incluir as pessoas que compreendem profundamente as aspirações e necessidades de pequenos nichos de clientes e que podem compor experiências envolventes e recompensadoras para essas pessoas. Essas experiências podem variar de passeios por regiões históricas de uma cidade ou bairro até experiências interativas que nos ajudam a nos conectar com os outros de maneiras mais ricas e profundas.

Por fim, veremos uma terceira categoria para “coachs” que ajudarão seus clientes a alcançar um maior potencial dentro de um tema ou domínio específico. Como um exemplo inicial podemos citar um “Personal trainer” que ajuda individualmente uma pessoa para melhorar o seu desempenho físico. Mas, a medida que as pessoas percebam a diversidade de coisas onde poderemos melhorar o nosso potencial, veremos um número crescente de coachs em áreas tão diversas quanto relacionamentos, viagens, entretenimento, assuntos financeiros ou aprendizado.

O avanço da tecnologia e o ser humano

Com o avanço da tecnologia o ser humano desempenhará cada vez menos tarefas rotineiras porque as máquinas serão capazes de realizar esse trabalho muito melhor do que nós seres humanos. Mas, talvez, mais importante do que isso seja o fato de que esse trabalho será cada vez menos relevante para as empresas pois elas precisam se focar na criação de valor para esse novo consumidor, cada vez mais exigente, e em continua evolução. Dessa forma o foco do trabalho será deslocado para atividades mais humanas e que as máquinas terão dificuldade de reproduzir.

Essa evolução do trabalho gerará inúmeras oportunidades e essas novas oportunidades poderão “não exigir” diplomas universitários, mas exigirão, com certeza, paixão e o desejo de se conectar com os outros de formas mais ricas e significativas.

Essa transição do trabalho será um desafio e nos obrigará a questionar algumas de nossas suposições mais básicas sobre trabalho e negócios. Mas o fato é que a tecnologia está mexendo com forças do mercado que podem recompensar aqueles que enfrentam os desafios e marginalizar aqueles que os ignoram.

A tecnologia, enfim, pode nos proporcionar a oportunidade de nos concentrarmos no trabalho e nas atividades que nos possibilitarão desenvolver cada vez mais o nosso potencial.

Outros artigos do Autor

A tecnologia e a transformação do mercado de trabalho

Gustavo Eduardo Zamboni Engenheiro Industrial formado pela Universidade de Buenos Aires com pós-graduação em Marketing e Sistemas de Informação (PUC-RJ). Desenvolveu sua carreira em empresas...

3 fatores que melhoram nossa rede de contatos

Gustavo Eduardo Zamboni Engenheiro Industrial formado pela Universidade de Buenos Aires com pós-graduação em Marketing e Sistemas de Informação (PUC-RJ). Desenvolveu sua carreira em empresas...
Estudo da Adobe revela como as pessoas veem o futuro do trabalho

Adobe revela como as pessoas veem o futuro do trabalho

Gustavo Eduardo Zamboni Engenheiro Industrial formado pela Universidade de Buenos Aires com pós-graduação em Marketing e Sistemas de Informação (PUC-RJ). Desenvolveu sua carreira em empresas...
Inbound Marketing

Inbound Marketing: o segredo do “Marketing de Vendas”

Gustavo Eduardo Zamboni Engenheiro Industrial formado pela Universidade de Buenos Aires com pós-graduação em Marketing e Sistemas de Informação (PUC-RJ). Desenvolveu sua carreira em empresas...

Fidelização de Clientes

Gustavo Eduardo Zamboni Engenheiro Industrial formado pela Universidade de Buenos Aires com pós-graduação em Marketing e Sistemas de Informação (PUC-RJ). Desenvolveu sua carreira em empresas...