Cuidados com o manejo e aplicação de graxas lubrificantes

168

Marcos Thadeu Lobo

Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional de Suporte Técnico em Produtos. E atualmente exerce a função de Consultor Técnico Sênior.

Os óleos lubrificantes podem ser tratados (filtração e desumidificação) para a retirada de contaminantes (material particulado sólido e água). Porém, na maioria das situações, não é possível realizar procedimentos similares em caso de graxas. Em função disto, qualquer contaminante que tenha contato com a graxa será levado até o componente mecânico a ser lubrificado afetando o seu funcionamento, seu desempenho e reduzindo a sua vida útil.

Figuras 1/2 - Material particulado sólido pode contaminar a graxa
Figuras 1/2 – Material particulado sólido pode contaminar a graxa

É muito importante que os métodos de manejo e  aplicação de graxas sejam projetados de forma a limitar a possibilidade de contaminação ( ex. material particulado sólido e água ) sendo imprescindível que se evite a contaminação das graxas em todas as etapas do processo de lubrificação: armazenamento, manejo e aplicação no maquinário.

Figuras 3/4 - Medidas simples podem evitar a contaminação das graxas
Figuras 3/4 – Medidas simples podem evitar a contaminação das graxas

Algumas medidas simples para diminuir o risco de contaminação das graxas durante a aplicação:

  1. Usar graxas em cartucho, sempre que possível, visto que esta modalidade de embalagem diminui o risco de contaminação e desperdício.
  2. Utilizar sistemas pneumáticos para enchimento das pistolas graxeiras com vistas a se evitar a abertura de recipientes ( baldes plásticos ou metálicos; tambores plásticos ou metálicos; latas plásticas ou metálicas etc. ).
  3. Utilizar capas plásticas para os pinos graxeiros.
  4. Limpar os bocais das pistolas graxeiras e os pinos graxeiros antes de efetuar aplicação de graxa no maquinário.
Figuras 5/6 - Sistema pneumático para enchimento de pistolas graxeiras e capa para pino graxeiro: métodos para evitar a contaminação da graxa
Figuras 5/6 – Sistema pneumático para enchimento de pistolas graxeiras e capa para pino graxeiro: métodos para evitar a contaminação da graxa

Há várias práticas que podem ser aplicadas para se reduzir o risco de contaminação da graxa durante o armazenamento e aplicação, sendo válidos os mesmos cuidados aplicados para o armazenamento de óleos lubrificantes.

A seguir, algumas recomendações que podem ser aplicadas quando a graxa estiver armazenada na sala de lubrificação:

  1. Mantenha os recipientes ( baldes plásticos ou metálicos; tambores plásticos ou metálicos; latas plásticas ou metálicas etc. ) fechados quando não estiverem sendo usados.
Figuras 7/8 - Manter os contentores de graxa fechados quando não estiverem em uso
Figuras 7/8 – Manter os contentores de graxa fechados quando não estiverem em uso
  1. Se um contentor de graxa estiver parcialmente vazio e a quantidade restante não for utilizada de imediato feche firmemente a tampa do contentor e armazene-o em local sem risco de contaminação por água e material particulado sólido, em local onde a temperatura ambiente não seja nem muito elevada e nem muito baixa.
  2. Limpe as ferramentas de engraxamento ( bombas de graxa; pistolas graxeiras ) antes de utilizá-las ou para retirada de graxa dos contentores ou para aplicação.
Figuras 9/10 - A limpeza é fundamental na operação de lubrificação à graxa
Figuras 9/10 – A limpeza é fundamental na operação de lubrificação à graxa
  1. Sempre limpe as bordas dos contentores de graxa ( baldes plásticos  ou  metálicos; tambores  plásticos ou metálicos; latas plásticas ou metálicas etc. ) antes de tampá-los.
  2. Faça uso de bombas pneumáticas ou manuais para extrair a graxa dos contentores evitando o uso das mãos, espátula, pedaços de metal ou madeira.
  3. Utilize pratos de nivelamento para assegurar um bombeio adequado da graxa.
  4. Evite o uso de espátulas, pedaços de madeira ou de metal etc. para transferência de graxa dos contentores às pistolas graxeiras ou bombas de graxa.

As pistolas graxeiras são instrumentos que vem sendo utilizados há longo tempo nas plantas industriais, em sites de construção civil, empresas de mineração etc. nas tarefas de lubrificação devido à simplicidade,  praticidade e, por estas mesmas razões, tem-se adotado, em muitas ocasiões, práticas descuidadas em seu manuseio.

Figura 11 - Pistolas graxeiras são instrumentos de lubrificação simples e práticos
Figura 11 – Pistolas graxeiras são instrumentos de lubrificação simples e práticos

Nas pistolas graxeiras, o enchimento com graxa e seu manuseio na aplicação, são práticas fundamentais na redução dos riscos de contaminação adotados em qualquer programa que vise as melhores práticas em lubrificação.

Figura 12 - Aplicação cuidadosa reduz risco de contaminação da graxa
Figura 12 – Aplicação cuidadosa reduz risco de contaminação da graxa

As seguintes práticas podem ser adotadas com vistas a reduzir-se o risco de contaminação da graxa quando do uso de pistolas graxeiras ou bombas de graxa:

  1. Buscar a padronização dos tipos de pistolas graxeiras ou bombas de graxa com vistas a facilitar o seu uso pelos mecânicos-lubrificadores.
  2. Limpar as pistolas graxeiras após o uso e conservá-las-as em armário fechado até a próxima vez que forem usadas.
  3. Cada pistola graxeira deve ter uso dedicado, ou seja, ser utilizada para um tipo específico de graxa e deve ter rotulada em sua carçaça o código ou designação da graxa correspondente.
Figuras 13/14 - Modelos padronizados e pistolas limpas em armário fechado
Figuras 13/14 – Modelos padronizados e pistolas limpas em armário fechado
  1. A condição operacional das pistolas graxeiras deve ser inspecionada regularmente.
  2. Conferir regularmente se a massa de graxa ( g) aplicada por bombada mantém-se uniforme e substituir as pistolas graxeiras ou bombas de graxa que apresentarem variação muito elevada.
  3. Efetuar a recarga das pistolas graxeiras ou bombas de graxa através de bombas com elementos de conexão, evitando utilizar as mãos, espátulas, pedaços de metal ou madeira com vistas a não contaminar a graxa a ser aplicada.

Outros artigos do Autor

Cuidado com os lubrificantes dos garfos telescópicos das motocicletas

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Manutenção preventiva é fundamental: Coroa, pinhão e corrente

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Detectar presença de umidade em fluido de freio é fundamental

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Cor do óleo pode ser um sinal de alerta no campo

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...
Figura 11 - Pistolas graxeiras são instrumentos de lubrificação simples e práticos

Cuidados com o manejo e aplicação de graxas lubrificantes

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...