Indústria de autopeças retoma o crescimento

95

A indústria de autopeças tem apresentado bom desempenho desde o início deste ano, comparativamente ao período de 2017, que compreende os meses entre janeiro e abril, o que reforça o cenário de recuperação do setor de autopeças no Brasil. Este cenário reflete o bom desempenho que tem sido observado na indústria automobilística.

Indústria de autopeças cresce

De acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Componentes Automotivos (Sindipeças), o faturamento nominal do setor, sem ajuste sazonal, apresentou, nos quatro primeiros meses do ano, crescimento de 26,2% em comparação ao mesmo período de 2017.

Dois fatores foram importantes para esse cenário positivo: o primeiro relaciona-se à alta de 20,7% da produção e vendas de veículos das montadoras no período, o qual paralelamente houve aumento do faturamento da indústria de autopeças em 26,9% para este seguimento.

Indústria de autopeças: montadoras, autopeças e motocicletas retomam o crescimento, e são oportunidades de empregabilidade
Indústria de autopeças: montadoras, autopeças e motocicletas retomam o crescimento, e são oportunidades de empregabilidade

O segundo fator pode ser verificado pelo impulso às exportações do setor estimulado pela desvalorização da moeda brasileira, o que fez as exportações avançarem 35,2%; contudo, vale ressaltar que a Argentina vem sendo a principal parceira do setor automotivo brasileiro, de acordo com os dados da SINDIPEÇAS, e poderá provocar retração das exportações para o país dado o advento da crise financeira e cambial no país.

Por outro lado, a desvalorização esperada do real frente ao dólar oferece estímulos para que as vendas para outros países da América Latina, assim como da Europa e para os Estados Unidos, avancem.

Assim, diante de um cenário positivo deste ano, a United HR, empresa de recolocação de executivos, continua estimando crescimento da produção e das vendas do setor de autopeças, assim como na continuidade do aumento do faturamento do setor advindo das exportações.

Primeiros meses de 2018

Os primeiro quatro meses de 2018 foi positivos para a indústria de motocicletas, de acordo com os dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo. Neste período, houve aumento de 12,2% na produção, sendo 259.537 unidades produzidas entre janeiro e março, em relação ao mesmo período de 2017.

De acordo com a associação, a retomada de crescimento da produção iniciou no segundo semestre de 2017, a qual manteve-se em março deste ano que apresentou um aumento de 14,8% em relação ao mesmo mês de 2017. O resultado positivo do trimestre condiz com o aumento das vendas no atacado, as quais somaram 87,2 mil motos, aumento de 16,6% somente no mês de março comparativamente ao mês anterior e aumento de 8,5% na comparação anual.

No setor externo, as exportações representaram um crescimento expressivo no primeiro bimestre do ano, em que foram enviados para outros países 15.300 motocicletas, alta de 35,3% em comparação ao mesmo bimestre de 2017, sendo os principais países Argentina e Estados Unidos.

Previsão de bom desempenho

Assim, a partir deste cenário positivo, a United HR prevê bom desempenho do setor para o ano de 2018, com crescimento em 6% na produção, de 4% nas vendas do atacado assim como nas exportações, sendo oportunidade empregabilidade para executivos da área de comércio exterior e logística.

A indústria automobilística tem acompanhado a retomada da atividade econômica do país, principalmente pelos anúncios de investimentos por diversas montadoras, além da oferta de novas vagas de emprego e pelo aumento do crédito. Recentemente, a Volkswagen anunciou investimentos de R$ 7 bilhões até 2020, com foco no desenvolvimento e lançamento de 20 novos produtos.

A General Motors também tem investido no desenvolvimento de novos produtos, em especial nos complexos de Gravataí (RS), São Caetano do Sul (SP) e Joinville (SC). Já a Toyota anunciou a instalação de uma linha de montagem para a produção de um novo modelo. Este mercado demitiu milhares de executivos do setor nos últimos anos.

Oportunidades de empregabilidade

No mercado de trabalho, entre os meses de janeiro e junho a Mercedes-Benz contratou 272 funcionários somente para a fábrica em São Bernardo do Campo (SP) e 80 para a fábrica do município de Juiz de Fora (MG).

Além dessas contratações, serão ofertadas para os próximos três meses mais de 330 vagas de trabalho para as duas fábricas. Agora é uma oportunidade de voltar ao mercado, afirma Marcio Pereira CEO Latam da United HR, empresa de recolocação de executivos.

Outro ponto importante é o aumento dos empréstimos realizados pelos bancos das montadoras, os quais tiveram alta de 10% no primeiro trimestre do ano, com um total de aproximadamente R$ 25 bilhões, de acordo com a Associação Nacional das Empresas Financeiras de Montadoras (Anef). (O Estado de S. Paulo – Broadcast/DINO Divulgador de Notícias)