Grupo III é destaque nos EUA

76

Grupo III é destaque nos EUA
óleos básicos do Grupo III foram o destaque em 2018

Por: Judith Taylor

Os óleos básicos do Grupo III foram o destaque do primeiro trimestre de 2018, e não foi surpresa para quase ninguém, pois, ressaltando o que foi discutido por vários anos, novos motores e regulamentos exigem melhor qualidade dos básicos e, deste modo, mais uso do Grupo III.

Ainda podemos observar que os básicos dos grupos II e II+ continuam a formar a espinha dorsal dos óleos premium, usados em lubrificantes para motor de automóveis de passageiros (PCMOs). Entretanto, o Grupo III não é mais apenas um elegante coadjuvante nessa história. Ele está em destaque no palco e também muito ocupado no primeiro trimestre deste ano.

Os atores principais desse jogo iniciaram o ritmo acelerado de 2018 liderados pela PetroCanada, que, já em outubro de 2017, publicava seus preços para os grupos II e II+, e incluía também o grupo III, comportamento que foi seguido pela Phillips66 e pela SK Lubricants. Já a Motiva surpreendeu o mercado, quando, na conferência pan-americana da ICIS, em dezembro de 2017, anunciou formalmente que está produzindo e comercializando óleos básicos do Grupo II e divulgaria seus preços para o Grupo III em 2018, o que realmente aconteceu já no início de janeiro.

Grupo III

É importante notar também que os óleos básicos do Grupo III importados da Abu Dhabi National Oil Company (ADNOC) já estavam presentes nos Estados Unidos, enquanto algumas outras empresas já estão importando volumes dedicados de Grupo III, ou estão silenciosamente produzindo pequenos volumes desses básicos e trabalhando para resolver as questões de qualidade e certificação.

Não há dúvida de que os volumes de Grupo III presentes no mercado norte-americano aumentaram, impulsionados pela necessidade do setor de lubrificantes para automóveis de passageiros de incorporar óleos básicos de melhor qualidade, a fim de atender ao ritmo dos requisitos de desempenho já exigidos para este ano, e daqui para frente.

Clique na revista abaixo e leia o restante do artigo na revista LUBES EM FOCO:

Lubes em Foco 64