Importaçao brasileira de óleos básicos bate recorde histórico

0
118

O primeiro quadrimestre de 2018 marcou um recorde histórico nas importações de óleos básicos lubrificantes, ao atingir as 200 mil toneladas, correspondentes a cerca de 222 mil metros cúbicos. Esse volume representa um aumento de 111%, em relação ao mesmo período do ano passado, e mais da metade de toda a importação de 2017. O volume importado nesses quatro primeiros meses do ano também superou a produção local das refinarias brasileiras. O maior volume importado, até este ano, pertencia ao ano de 2011, que ultrapassou os 189 mil m3 no mesmo período.

Importaçao brasileira de óleos básicos bate recorde histórico
Importaçao brasileira de óleos básicos bate recorde histórico

De acordo com especialistas, a reação do mercado de lubrificantes acabados, que teve uma recuperação acima dos 6% no primeiro quadrimestre deste ano, juntamente com o crescimento da demanda por básicos de grupos II e III foram os principais fatores que levaram os números de importação a baterem esse recorde, uma vez que a produção local das refinarias se restringe a apenas o grupo I, e a produção da Lwart e óleo rerrefinado grupo II só atende à pequena parcela das necessidades do país.

Já era sabido que o Brasil iria se tornar um grande importador de óleos básicos, uma vez que não há ainda perspectivas para construção de novas refinarias no país, o que, se porventura vier a se concretizar, certamente dará prioridade à produção de combustíveis, por serem mais estratégicos para o abastecimento do país.

Importaçao brasileira de óleos básicos: a opinião do especialista

De acordo com o coordenador da Comissão de Lubrificantes do IBP, e editor da revista Lubes em Foco, Pedro Nelson Belmiro, esse é um tema que precisa ser debatido com muito cuidado, e o mercado precisa estar preparado para os problemas logísticos que precisam ser contornados.

“Nossa preocupação é que os produtores, principalmente os pequenos, que não têm grandes facilidades para importar, estejam acompanhando a evolução desse assunto para não serem surpreendidos em futuro próximo. Se lá adiante houver uma decisão de se construir ou realizar parceria para nova refinaria, é importante que se lembrem também dos lubrificantes”, destacou Belmiro.

Esse tema será objeto de uma mesa redonda de debates, no 8º Encontro com o Mercado, a ser realizado no Rio de Janeiro, dias 19 e 20 de junho próximo, com a presença do Ministério de Minas e Energia, da Petrobras, Produtores locais e especialistas nacionais e internacionais.