ATIEL muda fiscalização dos níveis de desempenho ACEA dos óleos lubrificantes

0
80

Presidente da ATIEL diz que uma falha fundamental nas especificações ACEA da Europa tem sido sua dependência do auto-monitoramento das empresas sobre seus próprios níveis de desempenho, em relação aos padrões de qualidade de lubrificantes. Embora a maioria possua a necessária integridade ou habilidade técnica para afirmar com precisão o desempenho, uma revisão de três anos do processo existente, pela ATIEL, determinou a necessidade de abordar a vulnerabilidade do sistema. A associação técnica recentemente anunciou mudanças notáveis ​​no procedimento de conformidade EELQMS.

ATIEL muda fiscalização dos níveis de desempenho ACEA dos óleos lubrificantes
ATIEL muda fiscalização dos níveis de desempenho ACEA dos óleos lubrificantes

As sequências de testes da ACEA ajudaram a definir os requisitos de qualidade dos lubrificantes de motor para veículos leves e pesados ​​na Europa, desde 1996. O impacto que essas especificações tiveram sobre o levantamento de padrões de lubrificantes automotivos é inegável, embora historicamente tenha havido vulnerabilidades no sistema, confirmou o presidente da ATIEL, Peter Tjan, enquanto falava na reunião anual da UEIL, em outubro passado, em Bolonha, Itália. Tjan se aposentou como presidente da ATIEL no final de 2017.

Notadalmente, a ATIEL não aprova fisicamente óleos de motor, apenas descrevendo os padrões para companhias de petróleo ou fabricantes de lubrificantes que assinaram a Carta de Conformidade (LoC) do European Engine Lubricants Quality Management System (EELQMS), para fazer reivindicações de desempenho.

Esta auto-avaliação depende muito da confiança na retidão das empresas envolvidas, talvez colocando um nível de confiança além do razoável em algumas reivindicações de desempenho. No passado, não houve checagem ou avaliação de conformidade com as sequências propostas pela ACEA.

ATIEL pretende mudar radicalmente

Tudo está pronto para mudar. A ATIEL anunciou alterações radicais no procedimento de conformidade EELQMS, que inclui o estabelecimento de uma empresa de serviços independentes, SAIL, para fortalecer a conformidade do produto. Tjan aconselha que as mudanças sejam feitas independentemente de uma revisão abrangente dos desempenhos ACEA.

ATIEL realizou, por três anos sucessivos, pesquisas de qualidade, incluindo testes laboratoriais independentes, para testar se as reivindicações feitas por empresas individuais foram justificadas. Os esforços da associação técnica europeia concentraram-se principalmente nos óleos de motor de automóveis de passageiros, com uma avaliação preliminar dos membros da ATIEL para garantir a conformidade, antes de estender a revisão aos signatários do EELQMS LoC.

Uma série de problemas de desempenho foram identificados dentro de empresas individuais, embora “com tranquilidade esses casos fossem limitados e envolvessem apenas uma não-conformidade menor”, diz Tjan. Um problema mais prevalente foi a falta de conformidade estrutural, ou sejam, inconsistências atribuídas a uma má compreensão do sistema ou a como misturar um produto para atender a um padrão específico. Uma série de mudanças foram implementadas como resultado das pesquisas de qualidade para melhorar a conformidade, diz Tjan.

Em casos individuais, a ATIEL promoveu um envolvimento direto com as empresas que exibiam problemas de desempenho para determinar ações corretivas. Para a maior parte “a resposta foi positiva com as empresas que tomaram medidas corretivas imediatas”, diz Tjan. No caso de questões estruturais, a ATIEL se envolveu na provisão de material didático e educacional para os signatários da carta de conformidade (LoC), incluindo publicações e webinars, para ajudar a elevar o nível de operação.

Regras de fiscalização precisam mudar

Em conjunto com as mudanças mencionadas anteriormente, “o que também ficou claro é que as regras de fiscalização precisam de uma atualização”, diz Tjan. A ATIEL publicou sua política de conformidade que descreve essencialmente o que acontece, quando um produto não é compatível. As medidas variam desde a assistência educacional preliminar até um processo de mais extremo de inclusão em lista negra, para os comerciantes de lubrificantes.

A assinatura de uma LoC implica um compromisso de desenvolver e fabricar lubrificantes de motores com os padrões descritos no EELQMS. No entanto, as reivindicações de desempenho de empresas que não são signatárias da LoC ainda podem satisfazer os padrões da ACEA.

A ATIEL revelou uma nova marca comercial de qualidade, a ser usada exclusivamente pelos signatários da LoC em rótulos e documentação, como parte de um esforço para segregar lubrificantes aprovados de impostores. Os não signatários não têm direito à marca comercial de qualidade. Embora a ATIEL afirme que as 500 pesquisas de qualidade realizadas foram extremamente valiosas, elas precisam ser intensificadas, para serem mais influentes, com levantamentos de produtos em andamento e recursos aprimorados.

Empresa belga SAIL fará o gerenciamento

A companhia privada belga SAIL foi constituída em 1º de julho de 2017 e foi contratada pela ATIEL para gerenciar serviços administrativos, financeiros e de gestão, em apoio à conformidade de produtos da ATIEL e às atividades de Carta de Conformidade. Em nome da ATIEL, a SAIL agora opera o sistema de registro para os signatários da LoC, licenças do uso da marca EELQMS e logotipo, e gerencia o programa de monitoramento de conformidade – analisando produtos e avaliando resultados.

Cada signatário do LoC terá pelo menos um produto a ser analisado todos os anos, diz Tjan. As empresas que não conseguirem atingir um padrão exigido terão que responder dentro de 30 dias, com uma explicação e indicar como ela pretende resolver os problemas.  A SAIL seguirá o processo até a resolução final. Também será responsável pela agregação de informações totais e publicará estatísticas anuais sobre tendências de desempenho, problemas comuns e continuará a melhorar os programas de treinamento, para abordar questões recorrentes.

Consciente de responsabilizar os membros da ATIEL com custos adicionais ou ter que subsidiar um sistema que atende toda a indústria, a taxa de registro anual de 975 Euros (US$1,156), de cada empresa que assina uma Carta de Conformidade, assegurará que o programa se torne autossustentável. Não há intenção de gerar lucros com essas atividades, diz Tjan. Os signatários da LoC existentes foram notificados das mudanças, no início de setembro de 2017, ao lado de uma solicitação para renovar sua LoC existente.

A marca de qualidade ficou disponível a partir de 1 de novembro de 2017. A SAIL recebeu mais de 200 registos até à data, confirma Tjan, um terço dos quais provêm de fora da Europa, incluindo China, Taiwan e América do Sul. Embora a organização esteja satisfeita com os resultados até o momento, Tjan diz que o processo de educação está em andamento.

Novo procedimento já é um passo á frene

Claramente, o novo procedimento de conformidade da ATIEL é um grande passo à frente para as sequências de testes da ACEA , embora ainda haja lacunas que exigirão atenção no futuro. Os óleos para serviço pesado só serão incluídos no processo de conformidade de 2018, e o foco, por enquanto, é exclusivo em pequenas embalagens, e não em granel, diz Tjan, observando que o API recentemente incorporou granéis em seu processo, com alguns resultados interessantes.

A especificação atual também foi limitada em âmbito geográfico – predominantemente dentro da UE, incluindo a Suíça e a Noruega. A partir de 2018, no entanto, o escopo está sendo expandido para cobertura global. Com tantos veículos enviados para mercados estrangeiros, a questão de garantir a qualidade nesses locais distantes é uma preocupação contínua, ele acrescenta. Para mais informações sobre a SAIL, acesse https://www.sail-europe.eu/.