Mais uma planta de Grupo I que fecha as portas

146
grupo I
Refinaria da Imperial Oil Foto: Bruce Raynor/Shutterstock

A Imperial Oil interromperá a produção de óleos básicos do Grupo I, ceras e lubrificantes acabados em sua refinaria em Strathcona, no Canadá, no início de 2018, confirmou uma fonte da indústria na semana passada.

Esta seria a mais recente de uma longa lista de plantas do Grupo I que fecharam nas duas últimas décadas, já que a demanda de óleo básico na América do Norte e Europa se desloca para os produtos do Grupo II e III, além de sintéticos. A consultoria Kline & Co. previu recentemente que a demanda global do Grupo I diminuirá a uma taxa anual composta de quase 2% até 2021. A Imperial não respondeu aos pedidos de comentários.

Atualmente, a empresa com sede em Calgary, Alberta, está em negociações com o Unifor, o maior sindicato do setor privado do Canadá, que representa pessoas empregadas na refinaria. Há cerca de 450 funcionários trabalhando nas instalações, no momento. O sindicato se recusou a discutir os planos para os óleos básicos e as fábricas de mistura, citando a natureza sensível das negociações.

O único produtor de Grupo I no oeste do Canadá

Localizado nos arredores de Edmonton, na província canadense de Alberta, a planta tem capacidade para produzir 2.400 barris por dia de óleos básicos do Grupo I. A refinaria é o único produtor de óleo básico e lubrificante do oeste do Canadá. É também a única instalação que produz óleos do Grupo I no país.

Após o término da produção na fábrica de Strathcona, o país ficará com apenas três fontes de óleo básico: A Safety-Kleen’s Breslau, Ontario, rerrefinador com uma capacidade de 2.500 barris por dia de Grupo II; A Terrapure Environmental, outro rerrefinador com uma capacidade de 400 barris/dia de Grupo II, em North Vancouver; e as instalações da PetroCanada em Mississauga, Ontário, que têm uma capacidade de 11, 600 barris/dia de Grupo II e 4.000 barris/dia do Grupo III.