Audi é acusada de fraudar emissões novamente

Autoridade alemã descobriu mais um equipamento nos carros diesel da Audi que engana testes de emissões

96

Audi é acusada de fraudar emissões

Bem quando tudo parecia normal, as autoridades alemãs confirmam os rumores de que encontraram mais um equipamento que engana testes de emissões de poluentes nos carros a diesel da Audi compatíveis com as normas de emissões Euro-6.

As primeiras informações dizem que o esquema de fraude foi encontrado no motor 3.0 V6 TDI do Grupo Volkswagen, usado em grande escala na linha da Audi e que, recentemente, passou a equipar também a picape Amarok.

Um recall já foi anunciado na Alemanha, de 77.600 apenas no país e 127 mil carros em todo o mundo.

Audi 3-litre V6 TDI

Agência federal de transportes da Alemanha

A KBA, agência federal de transportes da Alemanha, ameaçou retirar a aprovação para o novo sedã A8, mas o recall afeta uma quantidade ainda maior de carros, incluindo A4, A5, A6, A7 e A8, assim como os SUVs Q5 e Q7.

Especialistas da KBA investigaram os sistemas de gerenciamento de motor dos carros da Audi e descobriram que eles desligam as medidas de redução de emissões quando os veículos estão nas ruas, ativando novamente durante um teste de emissão. No último mês, a Audi dissolveu seu grupo interno responsável por investigar o escândalo do Dieselgate, decidindo que o assunto estava encerrado.

Muitas pessoas querem processar a marca

A revelação gerou muita discussão, com críticas duras vindas de pessoas que querem processar a marca. Gareth Pope, do escritório Slater and Gordon, é o responsável pela ação de 45 mil donos de carros da Audi, Seat, Skoda e Volkswagen no Reino Unido. “É óbvio que os escândalos de emissão de poluentes que domina a industria automotiva pode ser ainda maior do que muitos clientes pesam e a Volkswagen admite. Até agora, mais de 1,2 milhões de proprietários podem juntar-se a nossos 45 mil clientes que já entraram com um processo contra a Volkswagen por instalar tais equipamentos em seus carros. Mas agora, com este recall, que afeta outro tipo de motor além dos que já conhecemos, aumenta a possibilidade de que, mesmo depois do Dieselgate, as fabricantes continuam a enganar os clientes ao instalar programas ilegais que fraudam os testes de emissões.”, disse Pope.

Fotos: Divulgação