Sedãs Premium mais vendidos: BMW emplaca Série 3 e 5 na ponta

0
38

Sedãs Premium mais vendidos – BMW emplaca Série 3 e Série 5 na ponta em outubro. Por outro lado, Classe C registra queda impressionante.

Sedãs Premium mais vendidos – BMW emplaca Série 3 e Série 5 na ponta em outubro
Sedãs Premium mais vendidos – BMW emplaca Série 3 e Série 5 na ponta em outubro

Sedãs Premium mais vendidos

BMW à frente das rivais nas duas categorias, A4 no pódio, Classe C em queda brusca. Confira agora todos os destaques de outubro entre os sedãs premium.

Após quinze meses consecutivos sem nenhum rival à frente, o líder caiu. Em seu resultado mais fraco desde desde abril do ano passado (183), o Mercedes Classe C (137) encerrou outubro vendendo praticamente 10% do registrado em setembro (1.331), quando atingiu seu ápice no país desde o lançamento.

Mercedes Classe C C250

Médio

Quem se aproveitou do mau momento do mais vendido no acumulado do ano para assumir a ponta foi o BMW Série 3 (277), mesmo em queda de quase 6% na comparação com 2016 – a última vez em que o modelo havia liderado a disputa fora em maio do ano passado.

Segundo colocado, o Audi A3 (246) ficou muito próximo do Série 3 graças a uma evolução superior a 16%. A surpresa do mês, além da drástica queda do Mercedes, foi o ótimo resultado do Audi A4 (148), que não vendia tanto desde dezembro (150). Separados por apenas cinco unidades, Mercedes CLA (51) e Audi A5 (46) repetiram as mesmas colocações do mês anterior, com vantagem para o expressivo crescimento do modelo de Ingolstadt (+254%).

Praticamente dobrando as vendas de setembro, quando foi o lanterna, o BMW Série 4 (15) subiu para sétimo. Atrás do Volvo S60 (13), que perdeu metade dos compradores nos últimos doze meses, o Jaguar XE (10) foi o lanterna com o pior resultado desde setembro de 2015 (14).


Observação: O BMW Série 4, anteriormente incluído entre os esportivos, agora faz parte do segmento em função da versão Gran Coupé.

Grandes

O BMW Série 5 chegou ao quinto mês seguido como o sedã grande premium nº 1 no mercado brasileiro. Em outubro foram emplacadas 52 unidades, resultado inferior apenas às 61 unidades de agosto, mas suficientes para assegurar mais de 50% de participação de mercado.