Sistema hidráulico necessita de um projeto adequado

0
173
Marcos Thadeu Giacomini Lobo

Marcos Thadeu Lobo

Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional de Suporte Técnico em Produtos. E atualmente exerce a função de Consultor Técnico Sênior.

Os fluidos utilizados em sistemas hidráulicos são  submetidos a severas condições de operação e atuam como agentes de transmissão de potência, óleos lubrificantes, meio de transferência de calor e, em alguns casos, como meio de vedação.

Em face disto, refere-se ao fluido hidráulico como o mais importante componente de um sistema hidráulico sendo material que, certamente, não deve ser adquirido com base, apenas, em preço.

A despeito de se estar utilizando fluido para sistema hidráulico de base mineral,  sintético, de máxima eficiência e elevado Índice de Viscosidade ( MEHF ), sem cinzas, isento de zinco, multigrau, monograu  etc. é primordial que o projeto do reservatório hidráulico seja adequado, sob pena de não se obter o melhor desempenho do sistema hidráulico não importando quão boa seja a formulação do fluido para sistema hidráulico.

 

Figuras 1/2 – Reservatórios de fluido hidráulico

Recomenda-se que a volume do reservatório do sistema hidráulico para fluidos de base mineral comporte  03 a 05 vezes a vazão Q da bomba, em litros/minuto, mais um percentual de 10%.

  

Figuras 3/4 – Reservatórios de sistemas hidráulicos: o tamanho faz diferença

Ao se utilizar alguns fluidos especiais, o volume do reservatório deverá ser, ainda, maior. Por exemplo, se forem usados fluidos para sistemas hidráulicos resistentes ao fogo  do tipo HFC ( soluções de polímeros em água )  ou HFD ( fluidos anidros sintéticos ) é recomendável que o volume do reservatório do sistema hidráulico comporte de 06 a 08 vezes a vazão Q da bomba, em litros/minuto.

        

Figura 5 – Sistemas hidráulicos com alguns tipos de fluidos hidráulicos resistentes ao fogo demandam reservatórios de grande capacidade

As sugestões referentes a volumes de reservatórios de fluidos para sistemas hidráulicos foram idealizadas com vistas a se melhorar o desempenho e a confiabilidade dos sistemas hidráulicos. Porém, a tendência atual é pela diminuição da capacidade dos reservatórios, principalmente em equipamentos móveis, de forma que os volumes anteriormente sugeridos, dificilmente, serão adotados pelos OEMs.

A diminuição dos volumes dos reservatórios de fluidos para sistemas hidráulicos, fatalmente,  afetará o desempenho e a confiabilidade dos sistemas hidráulicos e esta redução de volume acabará por reduzir o seu potencial em cumprir as suas funções básicas. Para entendermos bem esta questão é necessário compreendermos as funções básicas dos reservatórios de fluidos para sistemas hidráulicos e se estas funções podem ou não ser delegadas aos fluidos para sistemas hidráulicos.

A função primária dos reservatórios de fluidos para sistemas hidráulicos, obviamente, é armazenar o fluido hidráulico. Além desta função, têm por finalidade a dissipação de calor e permitir que os contaminantes ( borras, material particulado sólido, água, vernizes etc. ) possam sedimentar e ser drenados.

Na prática, a quantidade de  calor dissipado, mesmo em reservatórios de grande volume não é elevada, sendo a dissipação de calor  função principal do trocador de calor. O papel de separar contaminantes ( borras, material particulado sólido, água, vernizes etc. ) dos fluidos para sistemas hidráulicos  é, em grande escala, executada pelos sistemas de filtração.

 

Figuras 6/7 – Trocador de calo e sistema de filtração

O ar entranhando no sistema hidráulico

Para o reservatório de fluidos para sistemas hidráulicos há uma função que pode ser desempenhada, com eficácia, somente por esse dispositivo e é função direta da suca capacidade e do tempo de permanência do fluido em seu interior: a liberação de ar entranhado.

Ar entranhado em fluidos para sistemas hidráulicos afeta, diretamente, o desempenho e a confiabilidade do sistema hidráulico de vários modos:

– compressibilidade aumentada, funcionamento intermitente e resposta lenta aos comandos do sistema hidráulico

– aumento da carga de aquecimento

– redução da condutividade térmica

– oxidação aumentada e degradação térmica ( dieseling ) do fluido para sistema hidráulico

– redução na viscosidade do fluido para sistema hidráulico que propicia aceleração do desgaste das superfícies metálicas dos componentes móveis

– desgaste erosivo por cavitação ( cavitação gasosa )

– elevação dos níveis de ruído

– diminuição da eficiência do sistema hidráulico

 

Figuras 8/9 – Ar entranhado em fluidos para sistemas hidráulicos

Fabricante de escavadora hidráulica, após aumentar a capacidade do reservatório de fluido para sistema hidráulico e instalar trocadores de calor, evidenciou aumento médio da vida útil das bombas hidráulicas de 12000 horas para 20000 horas, o que comprova que não basta, apenas,  o fluido para sistemas hidráulicos ser de excelente qualidade sendo necessário, também,  que o reservatório esteja corretamente dimensionado.

 

Figuras 10/11 – A capacidade do reservatório influi na vida útil dos componentes do sistema hidráulico

Com respeito a ar entranhado no fluido para sistemas hidráulicos, o volume de óleo lubrificante e o tempo de residência no reservatório são fundamentais para que as bolhas de ar possam ser liberadas do corpo do óleo lubrificante e tenham tempo para migrar à superfície e se desfazer. Em face disto, o aspecto construtivo do reservatório do fluido para sistemas hidráulicos é determinante para que não haja retenção de bolhas de ar na massa de óleo lubrificante.

Um reservatório adequado

O reservatório de óleo lubrificante mostrado na figura, abaixo, mostra  projeto adequado para que haja uma rápida e eficiente liberação de bolhas de ar entranhadas no corpo do óleo lubrificante . Pode-se verificar que há uma chicana (baffle)  separando a linha de retorno de óleo lubrificante da linha de sucção, o que obriga o fluido  percorrer toda a   extensão do reservatório 02 vezes e passar através de um difusor (diffuser)  projetado para coletar e suspender as bolhas de ar antes que elas sejam succionadas pela bomba hidráulica.

Como comentário adicional pode-se dizer que, se com este projeto a bomba hidráulica apresentar ruídos anormais a aeração do fluido pode ser descartada como causa provável porque o óleo lubrificante  passa  por  processo  de  separação      das  bolhas  de  ar  no  difusor ( diffuser ). Em casos assim, a causa provável da operação ruidosa da bomba hidráulica é a cavitação vaporosa que, infelizmente, não pode ser eliminada, apenas, com a retirada das bolhas de ar pelo difusor ( diffuser ).

Detalhes do projeto

Outro ponto interessante a ser mencionado no projeto de reservatório de fluido para sistemas hidráulicos, em análise, é que a placa de fundo do reservatório está instalada em ângulo ( inclinada ) de forma a facilitar a drenagem de   contaminantes ( borras, material particulado sólido, água, vernizes etc. ) sedimentados.

                 

Figura 12 – Liberação de ar em reservatório de sistema hidráulico

Com respeito     aos    profissionais de  manutenção,    pouco pode   ser feito para influir no que diz respeito à capacidade dos reservatórios de fluidos para sistemas hidráulicos,  além de especificar e alertar para o volume mínimo necessário, quando da compra de equipamentos móveis e industriais novos. Porém, cuidados regulares na manutenção de filtros de óleo lubrificante e trocadores de calor devem ser tomados. Além disto, a drenagem regular de contaminantes  sedimentados e a limpeza interna ocasional do reservatório é de grande importância.

     

Figuras 13/14 – Limpeza ocasional e drenagem do reservatório

Outros artigos do Autor

Razão Beta: Importante na avaliação de filtros para lubrificantes

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas (Unicamp) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional de Suporte...
Figuras 5/6 - É importante filtrar-se o solvente (nafta) antes da dispensa

Analisar rapidamente um resíduo de óleo pode fazer a diferença na manutenção

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...
Figura 15 - Treinar o staff de manutenção em técnicas de manutenção proativa

Como diagnosticar falhas em componentes mecânicos

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Três dicas básicas para a escolha da graxa correta

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...
Figura 1 - Principais falhas em elementos de máquina

Boa lubrificação de mancais aumenta eficiência de transportadores de minério

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas (Unicamp) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional de Suporte...