Importação de lubrificantes aumenta no primeiro semestre

488

importação de lubrificantesOs números de importação de lubrificantes no primeiro semestre de 2017 mostraram um aumento significativo, em comparação ao mesmo período do ano passado. O volume de óleos básicos importados apresentou um crescimento em torno dos 5,5%, enquanto a importação de lubrificantes acabados subiu quase 14% no período.

EUA é o maior parceiro do Brasil na importação de lubrificantes  

O total importado pelo Brasil foi 207,2 mil metros cúbicos, e o país que mais nos enviou básicos foi os Estados Unidos, com quase 71,5% do total importado.  A Coreia do Sul veio em segundo lugar, com 12,5%, seguida da Malásia com 6,4%. O Oriente Médio, com 4,1% e a Suécia com 3,5% vieram a seguir com os mais representativos. Além desses países, também foram fornecedores a França, o Canadá, a Índia e a Russia, com volumes menores.

Os óleos lubrificantes considerados com sintéticos, e que devem ser importados em outra classificação de importação (NCM), também apresentaram um aumento de quase 3% nesse semestre.

Outro número que chama a atenção também é o da exportação de óleos básicos feita pelos produtores/importadores brasileiros, que ao atingir 14,7 mil metros cúbicos, teve um crescimento de mais de 57%, com relação ao primeiro semestre de 2016. Transações com a China e o Oriente Médio representaram mais de 60% das exportações, que ainda tiveram a Europa e os Estados Unidos somando juntos, quase 29%. O restante foi direcionado para a América do Sul, tendo a Argentina, o Peru e a Bolívia com grandes parceiros.

Para um mercado que se manteve dentro de uma estabilidade, nesse primeiro semestre, a grande movimentação de óleos básicos esteve muito direcionada ao comércio exterior.