20 Perguntas e Respostas mais Frequentes sobre lubrificantes automotivos – 1ª Parte

0
410
Gaston Schweizer
Gaston Schweizer

Gaston R. Schweizer

Graduado em Engenharia Industrial, com larga experiência em empresas de lubrificantes e diversos cursos de especialização, desenvolveu uma carreira com mais de 30 anos na Shell, STP e Repsol, tendo atuado como chefe de treinamento, coordenador técnico, responsável pelo atendimento às indústrias montadoras e de autopeças e obtenção de aprovações de produtos.

Perguntas sobre a escolha do melhor óleo lubrificante para carro são muito frequentes. Relaciono aqui as principais perguntas com as respectivas respostas. Dessa forma, pretendo esclarecer os leitores e também estar atento a qualquer pergunta específica que não tenha relacionado.

Dividirei este artigo em duas partes com a finalidade de facilitar sua leitura e ampliar o aproveitamento dos leitores.

  1. Como devo escolher o lubrificante para meu carro?
    R: Para saber qual é o lubrificante correto para seu veículo, consulte o “Manual do Proprietário” na parte de manutenção quanto à viscosidade (SAE) e ao desempenho (API, ACEA, ou do fabricante do seu veículo) ou então verifique nas tabelas de recomendação disponíveis nos postos de serviço.
  2. Qual o nível correto do óleo no carro?
    R: Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, o nível correto se encontra entre os dois traços da vareta e não só no traço superior. Se o óleo fica abaixo do mínimo da vareta, o motor pode ser prejudicado por falta de lubrificação. No entanto, se o óleo fica acima do máximo da vareta, poderá haver aumento de pressão no cárter, podendo ocorrer vazamento e até ruptura de bielas, além do óleo em excesso ser queimado na câmara de combustão sujando as velas e as válvulas, danificando também o catalisador no sistema de descarga do veículo.
  3. Quando devo completar o nível de óleo?
    R: Com o uso do carro, o nível do óleo baixa um pouco devido às folgas do motor e à queima parcial na câmara de combustão. Assim, enquanto não chega a hora de trocar o óleo, devemos ir completando o nível.
  4. Escuto dizer que óleo bom é aquele que não baixa o nível e não precisa de reposição. Isto é verdade?
    R: Não. A boa lubrificação é aquela em que o óleo lubrifica até o anel do pistão mais próximo da câmara de combustão (anel de fogo) onde esse óleo é parcialmente queimado, sendo consumido. É normal um consumo de até meio litro de óleo a cada mil quilômetros rodados, com carros de passeio, mas cada fabricante de motor especifica um consumo normal para seu motor, de acordo com o projeto. É bom ressaltar que carro novo consome óleo.
  5. É verdade que o óleo de motor deve ser claro e o óleo de engrenagem escuro?
    R: É comum se ter esta opinião, no entanto ela não é correta. Os óleos lubrificantes são formulados misturando-se básicos e aditivos e a sua cor final dependerá da cor do básico e do aditivo que forem empregados na sua formulação. Além disso, a cor não tem nenhuma influência no desempenho do óleo.
  6. O óleo mais escuro é também mais grosso?
    R: Este é outro conceito errado. O óleo mais claro pode ser mais viscoso (grosso) do que um óleo escuro e vice-versa.
  7. Por que o óleo de motor fica escuro com o uso?
    R: Para realizar a função de manter o motor limpo, o óleo deve manter em suspensão as impurezas que não ficam retidas no filtro de óleo, para que elas não se depositem no motor. Desta forma, o óleo fica escuro e o motor fica limpo.
  8. Quando devo trocar o óleo do carro?
    R: Quando atingir o período de troca ou o tempo recomendado pelo fabricante do veículo e que consta do “Manual do Proprietário”. Os atuais fabricantes dos motores vêm recomendando períodos de troca cada vez maiores, dependendo do tipo de serviço e da manutenção do carro.
  9. É verdade que o motor deve estar quente na hora de troca de óleo?
    R: Sim, porque quando o óleo está quente, ele fica mais fino e tem mais facilidade de escorrer.
  10. Quanto tempo devo esperar para medir o nível de óleo?
    R: É importante que se espere pelo menos 5 minutos após o motor ter sido desligado para se medir o nível do óleo. Isto porque, neste tempo, o óleo vem descendo das partes mais altas do motor para o cárter e assim podemos ter a medida real do volume de óleo.
  11. Posso aumentar o período de troca quando uso óleos sintéticos?
    R: Embora os lubrificantes sintéticos possuam características de qualidade superiores, a maioria dos fabricantes de veículos ainda não diferencia os períodos de troca, caso se utilize óleos sintéticos ou minerais. Recomendamos seguir a indicação do Manual do Proprietário para intervalo de troca.
  12. O filtro de óleo também deve ser trocado? Quando?
    R: Sim. O óleo, com seus aditivos detergentes/dispersantes, carregam as sujeiras que iriam se depositar no motor. Ao passar pelo filtro, as impurezas maiores ficam retidas e as menores continuam em suspensão no óleo. Chega um momento em que o filtro, carregado de sujeira, dificulta a passagem do óleo podendo causar falhas na lubrificação. A situação se agrava quando ocorre o bloqueio total do filtro de óleo, o que pode causar sérios danos ao motor. O período de troca do filtro de óleo também é recomendado pelo fabricante do veículo e consta do “Manual do Proprietário”. Normalmente, ela é recomendada a cada troca de óleo.
  13.  Qual a diferença entre “serviço severo” e “serviço leve” que são termos usados pelos fabricantes de veículos quando falam em intervalos de troca de óleo?       R: Serviço severo é típico para os carros que andam nos centros urbanos, com o anda e para do tráfego e por pequenas distâncias, de até 6 km, ou em estradas poeirentas. Serviço leve é aquele em que os carros trafegam por percursos longos e velocidades quase constantes em rodovias pavimentadas, como no caso de viagens.
  14. Qual a validade do óleo lubrificante novo?                                                              R: A validade do óleo lubrificante novo é indeterminada, desde que o produto seja armazenado de maneira correta, ou seja, lacrado em sua embalagem, em local seco e evitando exposição ao calor e à luz do sol.
  15. Um carro antigo também pode usar um óleo de última geração?
    R: Sim. Você pode usar um óleo que possua um nível de desempenho superior ao recomendado pelo fabricante para seu motor. O inverso é que não é recomendado. No entanto, recomenda-se que, ao colocar este óleo superior, você realize a troca do filtro de óleo e repita esta operação, em um intervalo menor do que o indicado pelo fabricante. Isto se deve ao fato de que os óleos mais avançados limpam mais o motor e desta forma tendem a obstruir o filtro em um período mais curto. Após este procedimento ser realizado, você pode voltar a seguir os períodos de troca usuais e garantir uma melhor lubrificação do seu veículo.

 

…CONTINUA NO PRÓXIMO ARTIGO…

Outros artigos do Autor

20 Perguntas e Respostas mais Frequentes sobre lubrificantes automotivos – 2ª Parte

Gaston R. Schweizer Graduado em Engenharia Industrial, com larga experiência em empresas de lubrificantes e diversos cursos de especialização, desenvolveu uma carreira com mais de...

20 Perguntas e Respostas mais Frequentes sobre lubrificantes automotivos – 1ª Parte

Gaston R. Schweizer Graduado em Engenharia Industrial, com larga experiência em empresas de lubrificantes e diversos cursos de especialização, desenvolveu uma carreira com mais de...

Mitos e fatos na lubrificação de motores – 2ª Parte

Gaston R. Schweizer Graduado em Engenharia Industrial, com larga experiência em empresas de lubrificantes e diversos cursos de especialização, desenvolveu uma carreira com mais de...

Mitos e fatos na lubrificação de motores – 1ª Parte

Gaston R. Schweizer Graduado em Engenharia Industrial, com larga experiência em empresas de lubrificantes e diversos cursos de especialização, desenvolveu uma carreira com mais de...

Fique de olho na borra maldita

Gaston R. Schweizer Graduado em Engenharia Industrial, com larga experiência em empresas de lubrificantes e diversos cursos de especialização, desenvolveu uma carreira com mais de...